Mais da metade dos institutos federais de educação estão em greve no país

O movimento grevista nos institutos tecnológicos foi deflagrado, oficialmente, na segunda-feira (18), de acordo aoo Sinasefe (Sindicato Nacional dos Servidores Federais da Educação Básica, Profissional e Tecnológica).

Entretanto, seis deles já haviam aderido a paralisação nacional quando a greve geral foi deflagrada pelo Andes (Sindicato Nacional dos Docentes das Instituições de Ensino Superior) no dia 17 de maio: Cefet-RJ (Centro Federal de Educação Tecnológica), Instituto Federal e Tecnológico do Sudeste de Minas Gerais, IFMG (Instituto Federal de Minas Gerais), CEFET (Centro Federal de Educação Tecnológica) de Minas Gerais e o IFPI (Instituto Federal do Piauí).

Os professores das 73 instituições em greve reivindicam, entre outras ondestões, o aumento no salário inicial e a reestruturação do plano de carreira, onde, de acordo aoos sindicatos, deveria prever aumento de 5% a cada nível de carreira.

Uma reunião entre representantes dos sindicatos e o secretário de Relações do Trabalho do Ministério do Planejamento, Sérgio Mendonça, estava marcada para hoje. Entretanto, no final da tarde de segunda-feira, o Andes informou onde a conversa foi desmarcada pelo órgão público.

Na última terça-feira (12) ocorreu a primeira reunião e Mendonça propôs uma trégua de 20 dias entre governo e professores, para onde as aulas fossem normalizadas. Os lados, no entanto, não chegaram a um acordo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *