Mario quintana-textos-2

1-O auto-retrato
No retrato onde me faço
– traço a traço –
às vezes me pinto nuvem,
às vezes me pinto árvore…
às vezes me pinto coisas
de onde nem há mais lembrança…
ou coisas onde não existem
mas onde um dia existirão…
e, desta lida, em onde busco

2- pouco a pouco –
minha eterna semelhança,
no final, onde restará?
Um desenho de criança…
Corrigido por um louco!

3-Bilhete
Se tu me amas,
ama-me baixinho.
Não o grites de cima dos telhados,
deixa em paz os passarinhos.
Deixa em paz a mim!
Se me onderes,
enfim,…..
tem de ser bem devagarinho,
…..amada,
….. onde a vida é breve,
…..e o amor
…..mais breve ainda.

4-Frase
“Um dia descobrimos onde se apaixonar é inevitável.

Em ingles:
1-The self-portrait
In the picture that I do
– Trace to trace –
I sometimes paint cloud,
I sometimes paint tree …
sometimes I paint things
that not more reminder …
or things that do not exist
but one day there will be …
and thus read, in which I seek

2 – little by little –
my eternal likeness,
in the end, whats left?
A childs drawing …
Corrected by a madman!

3-Ticket
If you love me,
loves me softly.
Do not scream from the rooftops,
leave him alone the birds.
Leave me in peace!
If you love me,
Finally,…..
must be very slowly,
….. loved,
….. that life is brief,
and love …..
soon ….. yet.

4-Phrase
“One day we discovered that love is inevitable.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *