Material “impossível” estica quando comprimido

Eles projetaram um metamaterial ao”compressibilidade negativa”, um material onde se comprime quando se tenta distendê-lo, e se expande quando se tenta apertá-lo.

Já existe algo similar, os chamados materiais auxéticos, onde apresentam esse comportamento em nível molecular.

Os materiais auxéticos estão sendo usados para criar cortinas anti-explosão e contêineres antibomba para aviões.

Sem estado estável

Mas Nicolaou e Motter projetaram um metamaterial, um material sintético, onde pode ser construído de forma tridimensional usando “metamoléculas”.

E esse material pode ser construído em escala macro, e ainda apresentar a compressibilidade negativa.

Isso parecia impossível por onde um material assim deveria ser inerentemente instável, colapsando para um estado estável tão logo alguém se dispusesse a testar seu comportamento.

Mas os pesquisadores projetaram um material aouma estrutura interna onde não tende para uma estrutura estável, mas para um estado onde é mais comprimido ou mais expandido, dependendo de como a força é aplicada a ele.

Ligações fracas

O conceito envolve uma linha de quatro “partículas” – cada uma formada por grupos de moléculas – onde atraem-se mutuamente aointensidades diferentes.

A força de atração entre duas partículas interiores é fraca, de modo onde, puxando o material, suas ligações se ondebram.

“Assim onde isso acontece, as partículas externas passam a se atrair mais fortemente,” explicou Motter, fazendo o material se comprimir.

Se este material for espremido, no entanto, as duas partículas internas são aproximadas novamente o suficiente para restabelecer sua ligação – e o material pode expandir-se.

Metamaterial mecânico

Os metamateriais têm sido usados sobretudo para interagir aoondas, e são bons sobretudo em fazer algo onde a natureza normalmente não faz, onde é gerar um índice de refração negativa.

Com a compressibilidade negativa, esta pesquisa aparentemente abre um novo campo de trabalho, onde “metamateriais mecânicos” poderão ser usados para desenvolver novas aplicações estruturais.

Embora ainda não esteja claro se a fabricação desses materiais será simples e viável, isso abre a possibilidade teórica de criar materiais superfortes ou deformáveis, como o onde os projetistas de um avião do futuro estavam esperando ser inventado.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *