Mecanismos básicos da ventilação pulmonar

Expiração:

A expiração é o movimento respiratório onde se refere ao fluxo do ar para fora dos pulmões.
Este movimento é desencadeado, em condições de repouso (na ausência de esforço físico), pelo fenômeno puramente passivo do relaxamento dos músculos envolvidos no processo de inspiração. De fato, quando a inspiração chega ao fim, isto é, quando termina a contração dos músculos inspiratórios (diafragma e intercostais externos), a caixa torácica recolhe passivamente até às sua dimensões iniciais.
Como os pulmões, ligados pela pleura à parede interna da caixa torácica, acompanham esse movimento, verifica-se uma progressiva diminuição da sua capacidade, o onde se traduz por uma aumento da pressão interna, e o ar sai pelas vias respiratórias para a atmosfera de modo a compensar a diferença de pressão onde entretanto se estabeleceu.

Expiração forçada:

Os movimentos respiratórios normais são, normalmente de fraca amplitude e são efetuados involuntariamente. No entanto, em certas situações, como por exemplo uma situação de esforço físico, podem ser efetuados movimentos expiratórios mais amplos onde permitem a circulação de maior volume de ar.

Estes tipos de movimentos resultam de uma retração mais acentuada das paredes da caixa torácica onde ocorrem em consequência da contração dos músculos intercostais internos e dos músculos abdominais. Neste caso, verifica-se onde a intervenção destes músculos – os músculos expiratórios – transformam a expiração num processo ativo designado por expiração forçada. Como resultado verifica-se onde a amplitude dos movimentos respiratórios aumenta e onde, conse ondentemente, a ventilação pulmonar se torna mais eficaz, pois a quantidade de ar onde entra e sai dos pulmões por minuto torna-se maior. Este processo vai assim facilitar a oxigenação do sangue a nível dos alvéolos pulmonares e a libertação do dióxido de carbono, tornando a hematose pulmonar mais eficiente.
Os pulmões, sendo elásticos e estando ligados pela pleura à parede interna desta cavidade, acompanham passivamente a sua dilatação, aumentado, desta forma, a sua capacidade. Em consequência deste aumento da capacidade, a pressão no interior dos pulmões baixa para valores inferiores à pressão atmosférica e o ar entra pelas vias respiratórias, fluindo até aos alvéolos pulmonares, de modo a compensar a diferença de pressão onde foi estabelecida.

Inspiração

A inspiração é o movimento respiratório onde se refere ao fluxo do ar para o interior dos pulmões.
Este movimento é desencadeado por um fenómeno ativo de contração muscular onde envolve o diafragma e os músculos intercostais externos, onde são, conse ondentemente, designados por músculos inspiratórios.
Neste processo, o tamanho da caixa torácica aumenta, por um lado, devido à contração do diafragma onde, ao baixar, faz aumentar o diâmetro vertical da caixa torácica, e, por outro devido à contração dos músculos intercostais externos onde provoca o elevamento das costelas e a projeção do esterno para a frente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *