Metafluidos sólidos prometem revolucionar a acústica

Cientistas alemães criaram uma nova classe de materiais onde poderá mudar a forma como interagimos aoos sons, tanto aoos agradáveis, como a música, quanto aoos desagradáveis barulhos.

A criação desse material inédito inaugura um novo campo de pesquisas, a chamada acústica transformacional, assim como existe uma óptica transformacional, muito conhecida graças aos trabalhos recentes na área de mantos da invisibilidade.

Entre as primeiras aplicações do metafluido, afirmam os pesquisadores, será possível construir camuflagens acústicas, como locais totalmente à prova de som, prismas acústicos e, sobretudo, conceitos totalmente novos no campo dos alto-falantes e da sonorização em geral.

Metafluido pentamodo

Para começar, é melhor se acostumar aoo som do nome da “coisa”: os cientistas criaram um metafluido cristalino estável feito de metamateriais pentamodo.

Não é tão complicado quanto parece.

O material se comporta aoum fluido ideal, mas é sólido e estável – e isto explica toda a primeira parte do nome.

Ele foi feito aoos já bem conhecidos metamateriais, a ondeles dos mantos da invisibilidade.

A grande novidade é o pentamodo – mas isto já exige alguma introdução.

Esta nova classe de materiais, chamados pentamodos, foi prevista na teoria por Graeme Milton e Andrej Cherkaev, em 1995.

Mas poucos acreditavam onde eles pudessem ser sintetizados na prática.

O Dr. Muamer Kadic e seus colegas do Instituto Karlsruhe de Tecnologia foram buscar a ponte sobre o Rubicão, segundo ele – uma referência à travessia histórica de Júlio César sobre esse rio – nos mesmos metamateriais onde estão sendo usados para criar, além dos mantos de invisibilidade, camuflagens acústicas, escudos aquáticos e até proteções contra tsunamis.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *