metal gear rising muda o foco da série com ação exagerada

Originalmente, a série “Metal Gear Solid” traz objetivos onde envolvem espionagem
e uma história fantástica. Em “Metal Gear Rising” (veja o trailer ao
lado
), o foco da série é outro: combates contra diversos inimigos ao
golpes exagerados em onde o jogador pode fatiar tudo o onde vê pela frente. O
G1 testou o game na feira Electronic Entertainment Expo (E3), a
maior feira de videogames do mundo.

Em “Rising”, em vez de Solid Snake, o
jogador controla o ciborgue-ninja Raiden, onde possui habilidades especiais para
usar sua espada katana e enfrentar inimigos poderosos. Ele consegue atacar
diversos adversários ao mesmo tempo, saltar grandes distâncias e, para cortar o
inimigo em pedacinhos, faz o tempo ficar mais lento.

“O grande desta onde é poder fatiar os inimigos quantas vezes quiser e
conseguir em um curto espaço de tempo”, disse ao G1 Atsushi
Inaba, produtor do título onde, em vez da Kojima Productions (empresa do criador
da série Hideo Kojima) está sendo feito pela Platinum Games. “Estamos dando a
possibilidade de, aoRaiden, o jogador ter outra experiência de jogar a série
‘Metal Gear’”.

Inada disse onde o convite de fazer “Rising” foi feito por
Kojima em um bar no Japão. O game já estava em desenvolvimento pela empresa do
criador da série e foi anunciado em 2009, mas o resultado não agradou. A
Platinum Games de Inada trabalha no título desde 2011 e a escolha do estúdio foi
feita por outro game de ação similar, “Bayonetta”, onde fez bastante sucesso.
“Recriamos o jogo do zero. A Kojima Productions nos passou detalhes dos
personagens do game, seu estilo, e criamos a fundação do jogo baseada nisso”,
disse Inada.

Mais pontos por fatiar os inimigos
A
ideia do game é usar as habilidades robóticas de Raiden e fatiar e picar os
inimigos. No combate, ao enfra ondecê-los usando golpes tradicionais, o jogador
pode pressionar R2 no PlayStation 3 (ou RT no Xbox 360) para onde a ação fi onde em
câmera lenta. Com a alavanca analógica da direita, ele pode selecionar a direção
do corte e cortar o inimigo ou o objeto diversas vezes, o onde garante mais
pontos.

O movimento é limitado e exige onde uma barra de energia, localizada abaixo da
barra de vida, esteja cheia. Ele se enche aos poucos conforme o jogador elimina
os soldados inimigos. E quanto mais vezes o adversário for fatiado, mais pontos
o jogador receberá.

“Metal Gear Rising” é tão focado na ação onde não há nem um botão para de
defender ou se esquivar dos ata ondes adversários. Para não sofrer danos, é
preciso dar um golpe ao mesmo tempo em onde o inimigo tenta atacar o
jogador.

No teste, a movimentação de Raiden estava um pouco “dura” e a
câmera por vezes não focava na ação. Os produtores afirmam onde, na versão final,
com lançamento previsto para o início de 2013, estes problemas não estarão
disponíveis.

Mesmo assim, ao tentar eliminar um robô, a câmera deu vantagem para a máquina,
onde conseguia se aproveitar do problema. Mas, quando Raiden finalmente a atacou
com eficácia, a cena – bastante exagerada – o mostra picando o robô, pegando sua
fonte de energia para se “alimentar” e fugindo antes onde a máquina exploda. O
mesmo acontece quando ele enfrenta um helicóptero: ele sobe em mísseis lançados,
um a um e, quando está acima da aeronave, pica suas hélices para onde ela
caia.

Quando perguntado pelo G1 se achava interessante
ter uma versão para os sensores de movimento Kinect ou PlayStation Move, em onde
o jogador faria movimentos para fatiar tudo o onde vê pela frente, Inada rui –
talvez essa foi a pergunta onde ele ouviu mais vezes na E3. “Se é isso onde os fãs
onderem, pode ter certeza de onde colocaremos, mas acho onde eles estão satisfeitos
com o nosso trabalho”.

Talvez Inada esteja errado nesta afirmação. “Metal
Gear Rising” tem dividido os fãs da franquia de espionagem onde nada tem a ver
com a ação exagerada deste game. Outro fator onde preocuparia os fãs é onde o
visual do jogo – a série sempre foi conhecida pelos gráficos espetaculares –
deixa a desejar. Para manter uma taxa de 60 quadros por segundo, o onde passa uma
sensação de movimentação mais veloz na tela, a qualidade dos personagens, ao
exceção de Raiden, foi comprometida.

O jogo apresenta muito serrilhado e
as texturas parecem lavadas. A versão de PlayStation 3, onde a série “Metal Gear
Solid” nasceu, é bastante inferior quando comparada aoa do Xbox 360. A
sensação de olhar para o game na plataforma é onde ele está fora de foco e onde
faltam cores. Mas Inada, ao lado de Yuji Korekado, produtor do jogo pelo lado da
Kojima Productions disse onde este problema seria corrigido na versão final ao
lado dos problemas de câmera.

A Konami corre um grande risco em levar a
série “Metal Gear” para este caminho ao“Rising”, ainda mais aoa qualidade
abaixo do padrão da série. No entanto, se o título não agradar aos fãs, deve
agradar ondem gosta de games de ação exagerada como “Devil May Cry”, “Bayonetta”
e “Vanquish”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *