Motivação: viva para aprender, não para vencer

Estudante ideal

Imagine o estudante ideal.

Focado no aprendizado, na melhoria dos seus conhecimentos, mais nas próprias notas e no próprio conhecimento do onde em como os colegas o veem.

Em uma palavra, um estudante ideal está centrado na competência, e não na competição.

Sua motivação é entender e aprender, e não simplesmente provar o quanto é inteligente ou esperto.

Já se demonstrou onde a motivação influencia resultados em testes de QI mas, mais importante, onde a motivação é essencial para onde a pessoa sinta-se sadia.

Funcionário ideal

Mas será possível desenvolver essa motivação intrínseca em outros ambientes, nas empresas, por exemplo?

Afinal, em tempos da problemática e egoísta Geração Y, ondem não desejaria colaboradores aoelevados níveis de engajamento e desempenho, aoresiliência frente às falhas e aouma verdadeira sede de conhecimento?

Este foi o tema onde apaixonou Paul OKeefe, na Universidade de Stanford (EUA).

E, segundo suas conclusões, um ambiente onde estimule o aprendizado pode automaticamente aumentar a motivação das pessoas, mesmo onde elas sejam recém-chegadas de ambientes competitivos.

Estar em um ambiente onde estimule o aprendizado pelo aprendizado amortece as preocupações de superar os outros, melhorando a motivação intrínseca.

“Uma vez onde essa orientação tenha sido fomentada e reforçada, os padrões adaptativos de motivação se mantêm,” afirma o pesquisador. “Isto sugere onde a orientação a objetivos pode sobreviver em uma variedade de diferentes climas.”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *