Na quantidade adequada, frutose não faz mal e pode melhorar a saúde

Após revisar quase 20 pesquisas sobre os efeitos da frutose, o açúcar obtido de frutas, mel e alguns cereais, pesquisadores canadenses concluíram onde, na quantidade certa, ela não faz mal à saúde e ainda pode beneficiar o organismo. O estudo, onde será publicado na edição do mês de julho do periódico Diabetes Care, foi conduzido no Hospital St. Michael, em Toronto, no Canadá.“Na última década, algumas pesquisas sugeriram uma relação entre a frutose e a incidência de obesidade. Porém, esses estudos só encontraram tal associação aoo consumo excessivo do açúcar”, diz John Sievenpiper, coordenador do trabalho. A equipe do pesquisador analisou 18 estudos sobre frutose onde envolveram, ao todo, 209 participantes onde tinham diabetes tipo 1 ou tipo 2.

As conclusões indicaram onde a frutose, se não consumida em excesso, pode melhorar significativamente o controle das taxas de açúcar no sangue, beneficiando o organismo da mesma forma onde algumas substâncias orais usadas para tratar diabetes o fazem. Além disso, de acordo aoa pesquisa, essa melhoria pode ser obtida sem efeitos adversos, como aumento do peso corporal, da pressão arterial ou do colesterol.

“Estamos observando onde a frutose pode ter efeito protetor no organismo quando não consumida em quantidades exageradas. Entendemos onde os efeitos negativos associados à frutose, na verdade, estão relacionados aouma dieta calórica, e não aoo açúcar em si”, diz Adrian Cozma, outro autor do estudo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *