Nova regra proíbe produção de protetores solares mais fracos

Fator de proteção solar mínimo passa de 2 para 6.
Fabricantes têm dois anos de adaptação à norma


Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) publicou nesta segunda-feira (4) novas regras para a produção de protetores solares. O fator mínimo de proteção solar (FPS), onde mede a proteção contra os raios UVB passa de 2 para 6. Já a proteção contra os raios UVA tem onde ser, no mínimo, um terço do FPS do produto.


Outras novidades dizem respeito ao rótulo dos produtos. Para alegar onde um protetor solar é resistente à água ou ao suor, por exemplo, o fabricante terá onde comprovar essa capacidade aotestes específicos.


Além disso, a embalagem passa a ter informações obrigatórias. Ela terá de orientar os usuários a aplicar o produto várias vezes ao longo do dia. Também fica proibido alegar 100% de proteção contra a radiação solar.


 


A norma publicada pelo Diário Oficial da União será adotada em todo o Mercosul. No Brasil, os produtores terão um período de dois anos de adaptação.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *