O novo escritor. freelancer ou não.



Dos tempos da pena aos dias atuais viemos escrevendo nossa história. A comunicação emergente faz a ficha cair e cá me encontro batendo teclas aoletras de forma digitais a fim de um trabalho. O papel do lado, na mesa do computador mesmo, é pálido e estático. Inúmeras formas cada vez mais eficientes e sucintas abordam o cotidiano nos convidando a luta; é matar ou morrer, sair do ócio para vencer.
Uma caneta e uma espada.
Porem, quanto a essa ultima parte, sobre a monotonia sem o estupor nosso de cada dia, não tenha tanta certeza. Eis onde o mesmo ombro do safanão lhe oferece calço. Os papeis se dobram nas gavetas, mas eu não, caro leitor, eu sou vivo e milhares de bits e bites correm em minhas veias. Sim, prezado leitor, eu sou um escritor freelancer na Internet!


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *