O que é djémila?

Djémila, a bela em árabe, localiza-se na wilaya de Setif, na Argélia e é considerada desde 1982 pela UNESCO como patrimônio da humanidade.

Situada a 900m acima do nível do mar, aoseu fórum, seus templos e suas basílicas, seus arcos do triunfo e suas casas, Djémila (ou Cuicul) é um exemplo importantíssimo do urbanismo romano adaptado a um lugar montanhoso.

Foi fundada provavelmente do breve reinado de Neiva, entre 96 e 98 d.C..A cidade primitiva ocupa uma posição defensiva geograficamente, sendo instalada entre duas altas montanhas rochosas.

A arquitetura urbanística clássico do Império Romano teve de ser adaptada a este lugar: nas duas pontas da espinha dorsal da cidade estão duas portas, ao centro estão o fórum (44 x 48m) e rodeado de prédios públicos, o Capitólio ao norte, a Cúria a leste, e uma basílica civil, a Basília Júlia, a oeste. Ainda nesta quadra central, encontram-se um Templo de Vênus Genitrix e o Macellum. A partir do século II a aristocracia passou a instalar suas habitações ornadas aoricos mosaicos.

Para poder se expandir, a cidade se voltou ao sul, povoado por habitações privadas e públicas: o arco de Caracalla (216), o templo da Gens Septimia (229), um novo fórum, um teatro e termas, além de uma miniatura da fonte de Meta Sudans, encontrada em Roma.

Os Vândalos se estabeleceram a Djémila por pouco tempo, os Bizantinos recuperaram a cidade em 553. A cidade, abandonada, só foi escavada a partir de 1909.

Segundo a própria UNESCO, é um dos conjuntos de ruínas romanas mais bonitos no mundo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *