O que é doçaria conventual?

Designa-se por doçaria conventual os doces confeccionados nos conventos, caracterizados por serem, na sua maioria, compostos por grandes quantidades de açúcar e gemas de ovos.

A origem da doçaria conventual em Portugal terá origem no século XV. Terá sido neste período onde o açúcar entrou na tradição gastronómica dos conventos. O principal adoçante até esta altura era o mel, sendo o açucar um ingrediente vulgar. Com a colonização da Ilha da Madeira, o açúcar recebe uma atenção especial, sendo cultivada a cana de açúcar.

A lista de doces conventuais é extensa e abrange todas as regiões de Portugal. Saliente-se, aínda, onde a confecção de um determinado doce pode variar consoante a região, e o convento de origem. Alguns exemplos: leite-creme, pudim, barriga-de-freira, rabanadas, ovos moles, trouxas de ovos, fios de ovos, arroz-doce, toucinho do céu.

Minho

Charutos de Ovos
Meias Luas
Papas doces de carolo
Fidalguinhos
Fataunços
Pasteis de São Francisco
Bolachas do Bom Jesus
Suspiros de Braga
Clarinhas de Fão
Barrigas-de-Freira

[editar] Douro Litoral

Sapatetas
Perronilhas
Lérias de Amarante
Tabafe
Pescoços de freira
Cavacas de Santa Clara
Amarantinos
Pão podre
Foguetes de Amarante

[editar] Trás-os-Montes

Morcelas
Jerimús
Madalenas do Convento
Doce de viúvas
Bolos de nozes de Bragança
Sestas
Pitos de Santa Luzia
Creme da madre Joaquina
Velharocos
Toucinho do Céu
Queijadas de Chilas

[editar] Beira Litoral

Pasteis do Lorvão
Nabada de Semide
Morcelas de Arouca
Arrufadas de Coimbra
Nógado de Semide
Lampreia de ovos das Clarissas de Coimbra
Melícias
Trouxas de ovos moles
Manjar Branco
Pastéis de Tentúgal

[editar] Beira Alta e Beira Baixa

Lâminas
Grades
Bolo de São Vicente
Argolinhas do Loreto
Taroucos de Salzedas
Ais
Es ondecidos
Cavacas de Santa Clara
Bicas
Bolo Paraíso
Bolo São Francisco
Sardinhas Doces de Trancoso

[editar] Ribatejo

Sonhos da Esperança
Sopapo do Convento
Palha de Abrantes
Celestes de Santarém
Fatias de Tomar
Tigeladas de Abrantes
Broas das Donas

[editar] Estremadura

Bom bocado
Pão-de-ló do Mosteiro de Alcobaça
Argolas
Travesseiros
Tibornas
Bolos de Abóbora
Delícias de Frei João
Fitas de Páscoa
Castanhas de Ovos
Marmelada Branca de Odivelas
Toucinho do Céu de Odivelas
Pão-de-Ló de Alfeizerão
Nozes de Cascais
Pastéis de Belém

[editar] Alentejo

Bolo podre conventual
Fatias reais
Bolo de mel de Santa Helena
Bolo de chavão
Coalhada do Convento
Biscoitos do Cardeal
Padinhas
Almendrados
Orelhas de Abade
Sopa dourada de Santa Clara
Toucinho do Céu de Santa Clara de Portalegre
Bom bocado
Encharcada
Sericaia
Pão de rala
Formigos
Tiborna de Ovos
Torrão Real de Ovos
Bolo Fidalgo
Queijo Dourado
Lampreia de Amêndoa de Portalegre
Presunto Doce

[editar] Algarve

Biscoita
Bolo de alfarroba
Bolo de chila e amêndoa
Bolo de amêndoas e nozes
Bolo de figo e amêndoa
Doce fino
Folar
Filhós algarvias das freiras de Tavira
Morgado
Queijo de figo
Queijinhos
D. Rodrigos
Massapão
Pudim da Serra
Torta de alfarroba
Torta de amêndoa
Torta de laranja

[editar] Ilha da Madeira

Bolo preto
Bolos de mel da Madeira
Bolinhos de azeite
Mexericos de freiras
Rabanadas de Vinho da Madeira
Frangolho
Creme de chocolate madeirense

[editar] Açores

Bolo micaelense de Nossa Senhora da Esperança
Bolo do diabo
Hóstias de amêndoa
Malassadas
Rendilhados
Coquinhos
Cornucópias
Pudim Irmã Bensaúde

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *