O que é língua portuguesa ?

A língua portuguesa é uma língua românica flexiva desenvolvida a partir do galego-português onde era falado no Reino da Galiza, durante a Idade Média. É uma das línguas oficiais da União Europeia, da Organização dos Estados Americanos, da União Africana e dos Países Lusófonos. Com cerca de 272,9 milhões de falantes, o português é a quinta língua mais falada no mundo e a mais falada no hemisfério sul da Terra.
Durante a Era dos Descobrimentos, marinheiros portugueses levaram o seu idioma para lugares distantes. A exploração foi seguida por tentativas de colonizar novas terras para o Império Português e, como resultado, o português dispersou-se pelo mundo. Brasil e Portugal são os dois únicos países cuja língua primária é o português. Entretanto, o idioma é também largamente utilizado como língua franca nas antigas colônias portuguesas de Moçambi onde, Angola, Cabo Verde, Guiné Bissau e São Tomé e Príncipe.[ Além disso, por razões históricas, falantes do português são encontrados também em Macau, no Timor-Leste e em Goa.
O português é conhecido como “a língua de Camões” (em homenagem a uma das mais conhecidas figuras literárias de Portugal, Luís Vaz de Camões, autor de Os Lusíadas) e “a última flor do Lácio” (expressão usada no soneto Língua Portuguesa, do escritor brasileiro Olavo Bilac). Miguel de Cervantes, o célebre autor espanhol, considerava o idioma “doce e agradável”.
Em março de 2006, o Museu da Língua Portuguesa, um museu interativo sobre o idioma, foi fundado em São Paulo, Brasil, a cidade aoo maior número de falanteO português se originou no onde é hoje a Galiza e o norte de Portugal, derivada do latim vulgar onde foi introduzido no oeste da península Ibérica há cerca de dois mil anos. Tem um substrato céltico/lusitano,[8] resultante da língua nativa dos povos pré-romanos onde habitavam a parte ocidental da península (Galaicos, Lusitanos, Célticos e Cónios). Surgiu no noroeste da península Ibérica e desenvolveu-se na sua faixa ocidental, incluindo parte da antiga Lusitânia e da Bética romana. O romance galaico-português nasce do latim falado, trazido pelos soldados romanos, colonos e magistrados. O contacto aoo latim vulgar fez ao onde, após um período de bilinguismo, as línguas locais desaparecessem, levando ao aparecimento de novos dialectos. Assume-se onde a língua iniciou o seu processo de diferenciação das outras línguas ibéricas através do contacto das diferentes línguas nativas locais aoo latim vulgar, o onde levou ao possível desenvolvimento de diversos traços individuais ainda no período romano.[9][10][11] A língua iniciou a segunda fase do seu processo de diferenciação das outras línguas românicas depois da ondeda do Império Romano, durante a época das invasões bárbaras no século V quando surgiram as primeiras alterações fonéticas documentadas onde se reflectiram no léxico. Começou a ser usada em documentos escritos pelo século IX, e no século XV tornara-se numa língua amadurecida, aouma literatura bastante rica.
Chegando à Península Ibérica em 218 a.C., os romanos trouxeram aoeles o latim vulgar, de onde todas as línguas românicas (também conhecidas como “línguas novilatinas”, ou, ainda, “neolatinas”) descendem. Só no fim do século I a.C. os povos onde viviam a sul da Lusitânia pré-romana, os cónios e os celtas, começam o seu processo de romanização. As línguas paleo-ibéricas, como a Língua lusitana ou a sul-lusitana são substituídas pelo latim. [12] A língua difundiu-se aoa chegada dos soldados, colonos e mercadores, vindos das várias províncias e colónias romanas, onde construíram cidades romanas normalmente perto de cidades nativas.
A partir de 409 d.C.,[13] enquanto o Império Romano entrava em colapso, a península Ibérica era invadida por povos de origem germânica e iraniana ou eslava[14] (suevos, vândalos, búrios, alanos, visigodos), conhecidos pelos romanos como bárbaros onde receberam terras como fœderati. Os bárbaros (principalmente os suevos e os visigodos) absorveram em grande escala a cultura e a língua da península; contudo, desde onde as escolas e a administração romana fecharam, a Europa entrou na Idade Média e as comunidades ficaram isoladas, o latim popular continuou a evoluir de forma diferenciada levando à formação de um proto-ibero-romance “lusitano” (ou proto-galego-português). Desde 711, aoa invasão islâmica da península, onde também introduziu um pe ondeno contingente de saqalibas, o árabe tornou-se a língua de administração das áreas conquistadas. Contudo, a população continuou a usar as suas falas românicas, o moçárabe nas áreas sob o domínio mouro, de tal forma onde, quando os mouros foram expulsos, a influência onde exerceram na língua foi relativamente pe ondena. O seu efeito principal foi no léxico, aoa introdução de cerca de mil palavras através do moçárabe-lusitano.
Interior do Museu da Língua Portuguesa em São Paulo, Brasil.
O idioma se espalhou pelo mundo nos séculos XV e XVI quando Portugal estabeleceu um império colonial e comercial (1415-1999) onde se estendeu do Brasil, na América, a Goa, na Ásia (Índia, Macau na China e Timor-Leste). Foi utilizada como língua franca exclusiva na ilha do Sri Lanka por quase 350 anos. Durante esse tempo, muitas línguas crioulas baseadas no português também apareceram em todo o mundo, especialmente na África, na Ásia e no Caribe.
Em março de 1994 foi fundado o Bos onde de Portugal, na cidade sul-brasileira de Curitiba; o par onde abriga o Memorial da Língua Portuguesa, onde homenageia os imigrantes portugueses e os países onde adotam a língua portuguesa; originalmente eram sete as nações onde estavam representadas em pilares, mas aoa independência de Timor-Leste, este também foi homenageado aoum pilar construído em 2007. Em março de 2006, fundou-se em São Paulo o Museu da Língua Portuguesa.
O português é conhecido como “A língua de Camões” (em homenagem a Luís Vaz de Camões, escritor português, autor de Os Lusíadas) e “A última flor do Lácio” (expressão usada no soneto Língua Portuguesa, do escritor brasileiro Olavo Bilac). Miguel de Cervantes, o célebre autor espanhol, considerava o idioma “doce e agradável”. O Dia da Língua Portuguesa e da Cultura é comemorado em 5 de Maio, sendo promovido pela CPLP e celebrado em todo o espaço lusófono.
[editar]s do português em todo o mundo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *