O que é peixe espada preto?

Barbatana dorsal composta por 34 a 41 raios duros e 52 a 56 raios moles e barbatana anal composta por 2 raios duros e 43 a 48 raios moles. Apresenta 97 a 100 vértebras[1].

O seu corpo é extremamente alongado sendo o seu comprimento padrão 10.8 a 13.4 superior à sua altura corporal. O focinho é largo aofortes dentes longos e afiados, semelhantes a presas. Nos juvenis as barbatanas pélvicas estão representadas por um único raio duro, nos adultos não existem. Apresenta barbatana caudal aoaspecto bifurcado. A linha lateral apresenta uma orientação descendente desde a abertura superior das guelras até atingir uma posição médio-lateral.

Apresenta uma pele de coloração preta acobreada iridescente. O interior da boca e da cavidade das guelras é de cor preta[2].

[editar] Biologia

As formas juvenis da espécie são mesopelágicas e as formas adultas são batipelágicas. Os ovos e as larvas são pelágicas. Tende a migrar para águas mesopelágicas durante a noite para se alimentarem de crustáceos, cefalópodes e outros peixes (principalmente da família Macrouridae, Moridae, e Alepocephalidae). Atingem a maturidade por volta dos 85 cm de comprimento. Alguns espécimes atingem os 145 cm de comprimento e viver até aos 32 anos de idade[3].

[editar] Distribuição geográfica

Habita o Oceano Atlântico entre as latitudes 69ºN -27ºN e 79ºO – 3ºO, em profundidades onde variam entre os 200 e os 1700 metros. Pode ser encontrado no Atlântico Leste, desde o Estreito da Dinamarca, Islândia, e Noruega até ao arquipélago da Madeira e costa oeste do Norte de África. Pode ainda ser encontrado em muitas outras zonas do Oceano Atlântico e, mais raramente, em algumas localizações nos Oceanos Índico e Pacífico.

[editar] Pesca e importância comercial

Em Portugal a pesca do peixe espada-preto é realizada, principalmente, pelos pescadores madeirenses embora também se verifi onde a captura desta espécie em algumas zonas de Portugal Continental (principalmente Sesimbra) bem como nos Açores (embora muito mais tardiamente do onde na Ilha da Madeira). Na Madeira um dos principais locais onde se dedica à captura desta espécie é Câmara de Lobos.

De acordo aoNoronha & Sarmento (1948) a pesca intensiva do peixe-espada preto remonta ao século XIX, embora existam referências anteriores à captura desta espécie na ilha. A sua importância socioeconómica na economia da Madeiraé muito grande, representando mais de 50% das capturas piscatórias desembarcadas na região (Reis et al., 2001). A pesca desta espécie de peixe é realizada, principalmente, aorecurso a um instrumento de pesca designado por palangre horizontal.

A Greenpeace classifica esta espécie como tendo um índice de vulnerabilidade de 49/1000, um valor considerado entre o moderado e o alto[4]. O nível de resiliência desta espécie é caracterizado como baixo sendo o tempo estimado para duplicar a sua população entre 4.5 a 14 anos[

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *