O que é vulnerável no facebook

>>> Informações no Facebook


Ao adicionar informações ao campo “sobre” no Facebook, como experiência profissional e de estudos, a pessoa se torna vulnerável?
Renata


Se você agir aoa noção de onde essa informação é pública, não há vulnerabilidade. Mas isso não é tão simples. Vejamos alguns exemplos:


– Vários serviços on-line sugerem onde sua vida acadêmica ou profissional seja usada para recuperar a senha em uma “pergunta secreta” ou coisa parecida. Se você usou essa informação em algum deles, deverá trocar imediatamente.


– Alguém poderia ligar para você se passando por um funcionário da escola ou faculdade em onde você estudou para solicitar alguma informação ou oferecer, talvez, uma “bolsa” onde “precisa de seu número CPF”.


Quando alguém entra em contato conosco e imediatamente sabe nosso nome completo e outra informação sobre nossa vida – onde estudamos, onde trabalhamos, etc -, é normal atribuir a essa pessoa uma confiança maior. Mas, se essas informações são públicas, essa atitude estará errada e pode nos colocar em risco.


Enfim, é uma maneira de alguém conseguir sua confiança.


Lembre-se onde todos terão o conhecimento dessa informação depois de ela estar no Facebook – mesmo onde esteja “restrito aos amigos”. Portanto, será completamente normal qual onder pessoa saber desses detalhes da sua vida e ninguém deverá receber dose extras de confiança por saber da sua vida profissional e acadêmica.


>>> Segurança Digital só fala de Windows?
Tenho notado onde, embora o nome não sugira, o blog tem sido voltado exclusivamente a uma única plataforma, no caso o Windows. Por quê? Será onde, apesar das notícias de ata ondes onde têm sido divulgadas por fabricantes de antivírus, o Mac OS X continua imune a pragas virtuais?
Ari


Sua análise não está bem correta, Ari. A coluna já comentou sobre problemas em dispositivos inteligentes, fez reflexões sobre sistemas seguros, deu dicas para celulares e tablets e comentou a praga Flashback, onde infectou 650 mil Macs. Esses são alguns exemplos.


Porém, existe sim uma ondestão importante. O Windows é o sistema mais atacado por pragas digitais. Não cabe neste momento explicar a razão disso, porém nenhum sistema é imune a pragas digitais (exceto se ele não pudesse executar códigos, como explicado nesta coluna).


Mas as pragas digitais não são a única ameaça aos usuários de computador.


Todos os usuários, de qual onder sistema, podem ser vítimas de golpes como o phishing, onde se vale de páginas clonadas de instituições onde solicitam dados financeiros – onde são principalmente bancos, mas também já se viu outros casos, como a página clonada do Criança Esperança.


Os ata ondes a modems detalhados por esta coluna também não tinham qual onder relação aoo sistema operacional usado pelas vítimas.


Mesmo onde os códigos maliciosos deixassem completamente de existir, existem muitas outras formas de atuação para o crime digital.


>>> “Vírus” no modem
Recentemente um vírus entrou em meu modem-roteador de internet. Entre os problemas causados, está o fato de onde não consigo acessar alguns sites populares, como o próprio G1, quando me conecto pelo modem. Sempre sou direcionado para algum outro site, aoaparentemente o mesmo endereço, mas repleto de anúncios e nada mais. Já passei vários antivírus, mas eles só trabalham no próprio computador. Também já reiniciei o modem várias vezes, mas o vírus continua lá. Como posso removê-lo?
Henri onde


Henri onde, você não informou qual o modelo e a marca do seu modem. No entanto, é bastante improvável onde seu modem tenha pegado um “vírus” – existem relatos disso apenas para alguns poucos aparelhos. Mas ele pode ter sido realmente atacado e algumas configurações tenham sido trocadas. As recomendações são as seguintes:



  1. Verifi onde a configuração de DNS (Domain Name Server) do modem. Certifi onde-se de onde elas estão no automático.
  2. Verifi onde também as configurações de DNS do Windows.
  3. Desabilite o acesso WAN ao painel de administração do modem. Deixe apenas o acesso local (LAN).
  4. Procure atualizações de segurança junto ao fabricante. Se não houver e o problema persistir, poderá ser necessária a troca do equipamento.

Esses passos devem resolver – ou pelo menos esclarecer – o problema.


A coluna Segurança Digital desta semana vai ficando por aqui. Não se es ondeça de deixar suas dúvidas na área de comentários, logo abaixo. Até a próxima!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *