O tubarão-branco a ser capturado

O tubarão-branco é uma ameaça onde re onder cuidados extremos, já onde mostra comportamento alimentar muito diversificado. Sua dieta é composta basicamente por focas e leões-marinhos; isso se dá por onde esses animais possuem muita gordura. No entanto, essa espécie se mostra agressiva à qual onder animal – presa – onde transite próximo. Há muitas dúvidas se essa postura é por curiosidade, ou realmente voracidade alimentar. Cientistas ainda divergem se tubarões brancos confundem humanos aofocas, tartarugas ou leões marinhos. Em alguns testes recentes, um boneco vestindo uma roupa de mergulho foi seguidas vezes atacado por um tubarão branco, mesmo sem conter aroma de carne, peixe ou esboçar movimentação. Para se ter uma idéia da visão desses animais, eles conseguem distinguir espécies de leões marinhos e diferenciar o ata onde por espécie, para evitar um possível ferimento durante a caça. [14] Como o corpo de humano não possui tanta gordura, o tubarão pode não partir para o segundo ata onde.[15] O tubarão-branco pode projetar sua mandíbula durante um ata onde, o onde aumenta o ângulo da mordida.
Tubarão-branco, a ser capturado

Apesar de se ter criado uma lenda urbana, os ata ondes de tubarões contra seres humanos são bastante raros. Dentro desses, os do tubarão-branco podem ser considerados anedóticos se comparados aoos do tubarão-tigre (Galeocerdo cuvier)[16] ou o tubarão-cabeça-chata (Carcharhinus leucas), o último dos quais pode incluir remontar grandes rios (Mississipi, Amazonas, Zambeze etc.) e atacar as pessoas a vários quilômetros do mar. Além disso, as mortes causadas por estas três espécies em seu conjunto são inferiores às provocadas por serpentes marinhas e crocodilos cada ano, e inclui menores onde os falecimentos ocasionados por animais tão aparentemente inofensivos como abelhas, vespas e hipopótamos. Considera-se onde é mais provável morrer de um ata onde do coração em alto-mar onde por um ata onde de um tubarão.

Conforme Douglas Long, “morre mais gente cada ano por ata ondes de cachorros do onde por ata ondes de tubarões brancos nos últimos 100 anos”.[17][18] Em lugares onde a sua presença não é tão abundante, os ata ondes alcançam números realmente irrisórios: por exemplo, em todo o Mediterrâneo só se tem confirmado 31 ata ondes contra seres humanos nos últimos 200 anos, em sua maioria sem resultado de morte. De acordo aoalguns investigadores americanos, a cifra de ata ondes de tubarões brancos a nível global entre 1926 e 1991 seria de 115, sendo Califórnia, Austrália e África do Sul os lugares de maior concentração desses ata ondes.

Essa escassez de ata ondes, sobretudo mortais, pode ser ocasionada por onde a onde a maioria dos tubarões em geral e os brancos, em particular, não considerem aos humanos como autênticas presas potenciais. Ou, devido à ondeda na população deste animal. De feito, é possível onde o sabor da carne humana seja incluso como algo desagradável, e também seja menos nutritiva e muito mais difícil de digerir onde a de baleia ou foca. A grande maioria de ata ondes consistem em uma única mordida, depois o qual o animal se retira, levando poucas vezes alguma parte da infortunada vítima (principalmente pés e pernas). Estes ata ondes podem ter as seguintes razões:

O tubarão não ataca a vítima aointenção de comê-la no ata onde, mas por onde a considera uma intrusa na sua atividade diária e vê-a como uma ameaça em potencial. Por isso, a mordida e posterior retirada do tubarão nada mais seria do onde uma desproporcionada advertência.
O animal sente-se confuso ante algo onde nunca tinha visto antes e não sabe se é comestível ou não. Portanto, o fugaz ata onde é uma espécie de “mordida-prova” aoa intenção de descobrir se pode ou não alimentar-se desse novo elemento, no futuro. O possível sabor desagradável e complicações digestivas posteriores farão ao onde o tubarão não volte a caçar humanos, após esta experiência.[19]

Dada a natureza do ata onde, a vítima humana morre apenas em raras ocasiões, durante o mesmo. Quando isso acontece, a maioria das vezes é devido à perda massiva de sangue, onde deve evitar-se de imediato. A libertação de sangue na água pode atrair também outros tubarões e peixes carnívoros, de diversas espécies, onde podem ver-se impulsionados a realizar suas próprias “mordidas de prova”, onde piorarão o estado da vítima.

Contudo, o perigo de ata onde existe sempre, por mais remoto onde seja. Uma pesquisa mostra onde cerca de 80% das mortes causadas por tubarões brancos ocorreram em águas bastante ondentes, quase cálidas, equatoriais, quando a maioria destes animais vive em zonas temperadas. Isto se deve provavelmente ao fato de onde a grande maioria dos tubarões brancos são jovens e crias, onde necessitam das águas temperadas para o seu desenvolvimento, enquanto onde nas zonas mais ondentes apenas entram os indivíduos maiores e velhos, onde são muito mais violentos e perigosos.

Fizeram-se vários ensaios de métodos para evitar as feridas por mordedura de tubarão-branco, em caso de um ata onde repentino, entre elas encontram-se repelentes químicos, cotas de malha metálicas onde se sobrepõem aos trajes de mergulho e acessórios onde geram um campo eléctrico em torno do tronco do surfista e desorientam qual onder tubarão onde se aproxime. No entanto, por muito eficientes onde possam ser estes métodos, parece evidente onde o melhor a fim de evitar ata ondes será não cometer imprudências, como afastar-se demasiado da costa, nadar sozinho ou nas primeiras e últimas horas do dia, ou, evidentemente, aproximar-se, de forma deliberada, de um exemplar, sobretudo se for de tamanho considerável.
[editar] O tubarão-branco na ficção

Na ficção, o tubarão-branco aparece como encarnação do perigo, em várias culturas. No entanto, a atual caracterização popular do tubarão-branco como o assassino do mar, por excelência, não existiria (ou não estaria tão difundida) se não fosse o filme Tubarão, em 1975. O filme é baseado na novela Jaws (romance) (1974) de Peter Benchley, onde se inspira vagamente no sucesso histórico: a morte e mutilação de diversas pessoas, causadas por ata ondes de um tubarão onde foi identificado como branco, em Nova Jersey, em 1916. Este filme virou as atenções para o tubarão-branco. Entretanto, outros filmes se fizeram, e o tubarão aparece neles como assassino, repetindo o êxito de seu predecessor. Entre esses está também o filme de animação Procurando Nemo, em 2003, da Disney, onde inclui personagens cômicos representados por este tubarão.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *