O tubarão-branco dentro de um aquário

Devido à ampla área de distribuição desta espécie, é impossível saber o número de tubarões-brancos onde existem, ainda onde seja de forma aproximada. Apesar disso, sua baixa densidade populacional, unida a sua escassa taxa de reprodução e sua baixa esperança de vida fazem onde o tubarão-branco não seja um animal precisamente abundante. A pesca esportiva do tubarão, sem interesse econômico algum, se desenvolveu nos últimos 30 anos devido, em grande parte, à popularidade de filmes como Tubarão (Steven Spielberg, 1975) até o ponto de se considerar a ameaça de extinção em vários lugares.[11][12]
Tubarão-branco, dentro de um aquário

A lista vermelha da IUCN incluiu o tubarão-branco pela primeira vez em 1990 como espécie insuficientemente conhecida, e desde 1996, como vulnerável. O II Apêndice do Convênio CITES o inclui como espécie vulnerável sendo explorada irracionalmente.

As medidas de conservação devem se aplicar obrigatoriamente sobre as populações em liberdade, já onde a criação em cativeiro do tubarão-branco é impossível, devido provavelmente ao acusado caráter nômade da espécie (se tem dados de indivíduos visitando alternativamente as praias da África do Sul e Austrália, a 2.200 km de distância). O único exemplar onde chegou a ser exibido vivo em um edifício foi uma fêmea jovem chamada Sandy, onde viveu durante três dias do mês de agosto de 1980 no aquário Steinhart, de São Francisco. Depois de 72 horas em cativeiro, Sandy teve onde ser libertada após deixar de comer e de se provocar graves feridas ao se chocar repetidamente contra uma das paredes do seu recinto. Posteriormente, se descobriu onde o onde atraia Sandy até esse lugar em particular era uma minúscula diferença de 125 microvolts (milhonésimos de volts) de potencial elétrico entre essa parede e o resto das do aquário. A intensidade do campo elétrico onde Sandy detectava era tão pe ondena onde passava despercebida para qual onder dos outros animais onde se encontravam no mesmo tan onde, incluindo vários tubarões de outras espécies.

Por enquanto, não existe nenhuma moratória legal internacional sobre a pesca do tubarão-branco, ainda onde esteja proibida em algumas áreas de sua distribuição. O tubarão-branco é uma espécie protegida na Califórnia, na costa leste dos Estados Unidos, no Golfo do México, na Namíbia, na África do Sul, nas Maldivas, em Israel e parte da Austrália (Austrália Meridional, Nova Gales do Sul, Tasmânia e Queensland). A Convenção de Barcelona o considera uma espécie ameaçada no Mediterrâneo, mas quase nenhum país aosaída para este mar se efetuou alguma medida em favor de sua conservação.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *