Ocupa uma área é de 30,65 km²; a população recenseada pelo ibge em 2000

História

Desde o início, o processo de ocupação de Diadema teve um fator fundamental: sua localização geográfica entre o litoral – Vila de São Vicente – e o planalto – Vila de São Paulo de Piratininga. Foi a existência de uma via de ligação entre São Bernardo do Campo e Santo Amaro que proporcionou a chegada de uns poucos moradores ainda no século XVIII. As avenidas Antonio Piranga e Piraporinha originaram-se desses caminhos primitivos.

Até a década de 40, a região de Diadema era constituída por quatro povoados pertencentes a São Bernardo do Campo: Piraporinha, Eldorado, Taboão e Vila Conceição. Dispersos, eles eram ligados apenas por caminhos precários. Cada um tinha sua vida própria. Piraporinha próximo a São Bernardo; o Taboão, também ligado pela proximidade a São Bernardo do Campo e a São Paulo pela Avenida Água Funda. O Eldorado, que guardava características muito próprias, graças à Represa Billings, vinculava-se mais a São Paulo, à região de Santo Amaro. E finalmente a Vila Conceição formada pelas chácaras pertencentes ao loteamento da Empresa Urbanista Vila Conceição.

Em 1925, com a criação da Represa Billings, a região do Eldorado passou a despertar o interesse de moradores da capital que buscavam opções de lazer. Nos anos 30, os irmãos Camargo, donos das terras, resolveram melhorar a ligação com a Vila Conceição (centro) por meio da abertura da atual Avenida Alda até o Parque 7 de setembro. O trajeto até o centro foi completado pelo Sr. Alberto Simões Moreira. Nessa estrada passaram a transitar carros de boi, cavalos, automóveis e a primeira jardineira que fazia o itinerário Eldorado – Vila Conceição – Praça da Árvore (SP).

Apesar da proximidade geográfica com a Capital, até os anos 50 a cidade pouco sentiu os efeitos das transformações produzidas pela industrialização em São Paulo. Até então, Diadema não tinha nenhuma importância econômica regional. Foi nas cidades localizadas ao longo da ferrovia Santos – Jundiaí, principal via de circulação de mercadorias na época, que ocorreu a expansão industrial paulista até a década de 40, especialmente em São Caetano do Sul, Santo André e Mauá.

Após a década de 50, o sistema de escoamento da produção, feito até então pelos eixos ferroviários, entra em declínio e o governo passa a optar pelos circuitos rodoviários. A Via Anchieta, inaugurada em 1947, representa uma nova fase da industrialização paulista e da implantação do capitalismo no Brasil. Em São Bernardo do Campo, ao longo dessa estrada, instalaram-se grandes indústrias multinacionais; e em Diadema, principalmente pequenas e médias empresas nacionais que produziam, na sua maioria, objetos complementares para as multinacionais.

Em 1948, com a Lei nº 233, criou-se o Distrito de Diadema. As transformações ocorridas a partir dos anos 50 na região do ABCD paulista – abertura de estradas, industrialização, migrações, novos loteamentos, crescimento das cidades – despertaram o interesse das lideranças políticas da região de Diadema. Havia o entendimento de que a mudança de distrito para município favoreceria o desenvolvimento do lugar.

A Vila Conceição liderou o movimento pela emancipação local. Além de contar com as lideranças políticas mais interessadas na questão, o vilarejo encontrava-se bastante isolado de São Bernardo do Campo, sentindo particularmente a falta de infra-estrutura e serviços básicos. Os moradores de Piraporinha, Taboão e Eldorado eram, na sua maioria, desfavoráveis ao movimento.
Terminal de Trólebus e ônibus.
Terminal de Trólebus e ônibus.

Foi a conjugação de vários fatores que determinou a emancipação político-administrativa de Diadema, como a expansão urbana e industrial paulista em direção ao ABCD paulista, a articulação de políticos da localidade, como o professor Evandro Caiaffa Esquível, com lideranças de influência no âmbito estadual, como o jurista Miguel Reale e a intensa participação dos moradores da Vila Conceição na campanha da emancipação.

Aprovado o processo de emancipação pela Assembléia Legislativa, ocorreu o plebiscito no dia 24 de dezembro de 1958. As pessoas residentes há mais de dois anos no local votariam a favor ou contra a emancipação. Participaram cerca de 300 eleitores e a emancipação venceu por pequena margem, apenas 36 votos. Em 1959 realizaram-se as primeiras eleições para os poderes Executivo e Legislativo do município de Diadema. E no dia 10 de janeiro de 1960, com a posse do primeiro prefeito, vice-prefeito e vereadores, instalou-se oficialmente o novo município.

Foi elevado à categoria de município em 1959, quando se emancipou de São Bernardo do Campo. Na ocasião, porém, a prefeitura de São Bernardo do Campo alterou substancialmente os limites do antigo distrito, retirando de sua área vários bairros, onde se localizavam importantes indústrias, que representavam grande fonte de arrecadação de impostos para a administração bernardense.

O dia 8 de dezembro é consagrado à Nossa Senhora da Conceição. Devido à religiosidade dos antigos moradores de Diadema e dos seus emancipadores, o dia 8 de dezembro foi escolhido para comemorar a emancipação política e a santa tornou-se a padroeira da cidade.

[editar] Feriados municipais

* 20 de novembro – Dia da Consciência Negra
* 8 de dezembro – Aniversário da cidade
* 7 de setembro – Independência do Brasil

[editar] Geografia

* Vegetação: A cobertura vegetal original do município era a Mata Atlântica de planície. O intenso processo de urbanização das áreas situadas nos limites da cidade de São Paulo descaracterizou completamente as feições desta composição vegetal.

* Altitude:
o Altitude média: 780 m
o Maior altitude: Jardim Santa Cândida: 865 m
o Menor altitude: Vila Idialópolis, Piraporinha.

* Relevo: acidentado, pequenas colinas e marrotes alongados. Poucas áreas planas.

* Clima: O clima da cidade, como em toda a Região Metropolitana de SP, é o Subtropical. Verão pouco quente e chuvoso. Inverno ameno e subseco. A média de temperatura anual gira em torno dos 20Cº, sendo o mês mais frio Julho (Média de 15°C) e o mais quente Fevereiro (Média de 23°C). O índice pluviométrico anual fica em torno de 1300 mm.

* Índice pluviométrico médio: Aproximadamente 1400 a 1500 mm por ano.

* Hidrografia: Grande parte da rede hidrográfica está orientada para a região noroeste do estado de São Paulo, em direção à calha do rio Tietê, formada pelos seguintes córregos e ribeirões:
o Córrego do Taboão – 4000 m
o Córrego de Capela – 4695 m
o Córrego do Floriano – 4395 m
o Córrego Araújo – 1798 m
o Córrego Mato Dentro – 5100 m
o Córrego Grota Funda (sul)
o Córrego Capela (leste)
o Córrego Curral Grande (leste)
o Córrego Campanário (norte)
o Ribeirão dos Couros – 7500 m (principal da cidade)

[editar] Limites

* Oeste e Norte – capital
* Nordeste, Leste, Sul – São Bernardo do Campo

[editar] Bairros

* Campanário
* Canhema
* Casa Grande
* Centro
* Eldorado
* Parque Reid
* Piraporinha
* Serraria
* Vila Conceição
* Vila Nogueira
* Parque Real
* Jardim Santa Candida
* Inamar
* Jd. São Judas Tadeu

[editar] Demografia

Dados do Censo – 2000

População Total: 357.064

* Urbana: 357.064
* Rural: 0

* Homens: 175.109
* Mulheres: 181.955

Densidade demográfica (hab./km²): 11630,75

Mortalidade infantil até 1 ano (por mil): 18,38

Expectativa de vida (anos): 69,93

Taxa de fecundidade (filhos por mulher): 2,15

Taxa de Alfabetização: 93,20%

Índice de Desenvolvimento Humano (IDH-M): 0,790

* IDH-M Renda: 0,721
* IDH-M Longevidade: 0,749
* IDH-M Educação: 0,901

(Fonte: IPEADATA)

Recomendados Para Você:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *