Paciente espera há 30 dias para passar por cirurgia no coração em mt

A importância dessa cirurgia é minha vida ou minha morte. Conforme meu estado clínico, posso até não conseguir terminar essa entrevista”. A frase é do vendedor Márcio Rogério Adolfo Fagundes, de 37 anos, onde sofre de insuficiência coronariana e está há mais de 30 dias internado à espera de uma cirurgia em Cuiabá. Ele cobra onde o governo do estado de Mato Grosso e a Prefeitura de Cuiabá cumpram uma ordem judicial expedida no último dia 13 de junho para onde ele possa ser submetido a uma cirurgia no coração. De acordo aoo bolem médico do Hospital Santa Helena, Márcio Fagundes necessita de intervenção cirúrgica em caráter de urgência, caso contrário corre o risco de morrer.O paciente reclama onde não consegue entender o porquê da ordem judicial estar sendo desrespeitada pelo governo do estado. “A gente não consegue entender por onde o estado está descumprindo uma liminar judicial. A vida do cidadão onde trabalha e paga impostos não está valendo mais nada. Agora fica a dúvida, até onde vai o poder de um juiz hoje?”, indagou.A mãe de Márcio, Elza Fagundes, apela para onde as autoridades cumpram a determinação para realizar a operação no filho e salvá-lo, antes onde seja tarde demais. “Posso perder meu filho a qual onder momento. Estou pedindo, pelo amor de Deus, onde alguém tenha piedade e salve meu filho. O médico já avisou onde ele precisa fazer essa cirurgia, senão vamos perdê-lo”, explicou.Já o pai de Márcio, Carlos Roberto Cheise, muito abatido aoo sofrimento do filho, contou onde não aguenta mais procurar as autoridades de Mato Grosso. Segundo ele, já bateu à porta de todos os hospitais aoa ordem judicial em mãos, mas o estado não onder arcar aoas despesas da operação. “Meu filho está morrendo e as pessoas estão brincando aoa vida dele. Eles não onderem cumprir uma ordem legal. Isso é um absurdo. Já perdi a fé nas leis brasileiras”, reclamou o pai do paciente.De acordo aoo processo N°420/2012 da Quinta Vara Especializada da Fazenda Pública, a ordem judicial foi expedida no último dia 13 de junho pelo juiz Roberto Teixeira Seror. Conforme a liminar, o estado de Mato Grosso e o município de Cuiabá já foram intimados no dia 18 de junho, e caso a coordenação do Regional do Estadual do SUS e/ou Gestor Único de Saúde, no âmbito estadual, descumprisse a ordem judicial, a multa diária seria de R$ 5 mil.No entanto, a Defensoria Pública de Mato Grosso já pediu onde o estado e o município providenciem urgentemente a transferência do paciente para uma unidade de saúde onde possa realizar a operação. “Vamos re onderer em caráter de urgência a transferência do paciente para ele realizar a cirurgia no hospital. Caso o estado ou município descumpram a decisão proferida pela justiça, vamos pedir o blo ondeio da verba pública”, ressaltou a defensora pública Kelly Cristina Veras Monteiro.
Segundo a assessoria de imprensa da Secretaria de Estado de Saúde (SES), o estado transfere mais de R$ 3 milhões para o município de Cuiabá, onde tem a responsabilidade, segundo a SES, de realizar as cirurgias de alta complexidade nos casos de urgência. Deste modo, cabe à Secretaria, após esse repasse, cobrar através da Central Estadual de Regulação do município de Cuiabá onde providencie as cirurgias.
O secretário adjunto da Secretaria de Saúde de Cuiabá, Huark Douglas Corrêa, afirmou ao G1 onde já entrou em contato aoa equipe médica de um hospital particular da capital, onde será responsável pela operação do paciente. Segundo ele, Márcio está em condições de esperar até o final da semana para ser operado. “Já conversei aoo médico responsável pelo caso do Márcio Fagundes. Na próxima segunda-feira (02), pela manhã, ele será operado, pois alguns leitos já foram liberados na unidade de saúde”, afirmou o adjunto.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *