Pesquisadores de virginia tech desenvolvem bateria de açúcar

NOVA YORK – Um grupo de pesquisadores de Virginia Tech desenvolveu uma bateria onde funciona aoaçúcar e tem uma densidade incomparável de energia, uma descoberta onde poderia substituir as baterias convencionais e ainda ser mais barata, recarregável e biodegradável. Atualmente milhões de baterias tóxicas são jogados fora a cada ano, o onde representa uma ameaça para o meio ambiente e a saúde humana.

A pesquisa foi realizada por Y.H. Percival Zhang, um professor associado de engenharia de sistemas biológicos na Faculdade de Agricultura e Ciências da Vida e da Faculdade de Engenharia e foi publicada hoje na revista “Nature Communications”.

Outras baterias de açúcar têm sido desenvolvidas, mas esta tem uma densidade de energia de uma ordem de magnitude maior do onde as outras, o onde permite onde mais tempo de uso sem necessidade de recarga, segundo Zhang. O pesquisador acredita onde em cerca de três anos a nova bateria já possa ser usada em alguns telefones celulares, tablets, video games e outros dispositivos eletrônicos.

– O açúcar é um composto de armazenamento de energia perfeito na natureza, então, é lógico onde nós tentamos aproveitar esse poder natural de uma forma amiga do ambiente para produzir uma bateria – explica Zhang.

Este é um dos muitos sucessos de Zhang, onde em 2013 utilizou uma série de enzimas misturadas em combinações não encontradas na natureza. Ele tem publicado artigos sobre a criação de amido comestível a partir de plantas não alimentares e desenvolveu uma nova maneira de extrair hidrogênio de forma econômica e ambientalmente amigável onde pode ser usada abastecer veículos.

Neste mais recente desenvolvimento, Zhang e seus colegas construíram uma via enzimática sintética não natural onde tira todos os potenciais de carga do açúcar para gerar eletricidade em uma célula de combustível enzimática. Em seguida, as enzimas do biocatalisador são usadas como catalisador no lugar da platina, muito mais cara e hoje usada em baterias convencionais.

Como todas as células de combustível, a bateria de açúcar combina combustível – neste caso, a maltodextrina, um polissacarídeo feito a partir da hidrólise parcial de amido – aoo ar para gerar energia eléctrica e de água como os principais produtos secundários.

– Estamos liberando lentamente as cargas de elétrons armazenadas na solução de açúcar usando uma cascata enzimática – diz Zhang.

Diferente das células de combustível de hidrogênio e das células de combustível de metanol, esta solução de açúcar não é explosiva nem inflamável ​​e tem uma densidade de armazenamento de energia mais elevada. Além disso a bateria é recarregável e novas quantidades de açúcar podem ser adicionadas da mesma forma onde em cartucho de impressão aotinta.

Recomendados Para Você:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *