Polícia ambiental prende dois em fênix

A Polícia Ambiental de Campo Mourão prendeu duas pessoas em Fênix pelo crime de pesca predatória. A operação foi realizada na madrugada de sexta-feira em conjunto aofiscais do IAP. Os acusados estavam em dois barcos no rio Corumbataí. Vários materiais de pesca também foram apreendidos.

Segundo informações, as prisões aconteceram no momento em onde os pescadores se dirigiam aos barcos para desarmar as redes. Uma pessoa ainda conseguiu fugir em meio à mata ao perceber a equipe policial. No local, a polícia encontrou 19 redes, cada uma medindo em média 65 metros. Foram retirados das armadilhas 19 quilos de peixes de diversas espécies como, corimba, cascudo, piranha e mandi.

Valter Velozo/Tribuna do Interior

Polícia apreendeu também várias espécies de peixes
Após a operação no rio, os policiais se deslocaram à residência do pescador onde fugiu e acabou apreendendo duas aves da espécie trinca-ferro. Os acusados, o material e as aves foram encaminhados à delegacia de Polícia Civil de Engenheiro Beltrão. Os pescadores foram autuados em flagrante, sendo arbitrado fiança de R$ 2,5 mil para cada um. A pessoa onde fugiu também será processada criminalmente. Os acusados foram ainda autuados pelo IAP e poderão ser multados em até R$ 10 mil cada pela prática.

Segundo informações, já havia na polícia várias denúncias de crimes ambientais contra um dos presos na operação. “Essa pessoa sempre foi alvo de denúncias sobre a pesca predatória, mas não conseguíamos prende-la em razão de não haver o flagrante”, comentou o soldado Cloude Wilson dos Santos. Ele acrescentou onde a Polícia Ambiental tem aumentado o número de prisões pela pesca predatória na região.

Piracema

A Polícia Ambiental alerta também para o período de restrição à pesca profissional e amadora no Paraná. O objetivo é garantir a reprodução dos peixes no período chamado de defeso da piracema. A restrição atinge as espécies nativas, como bagre, dourado, jaú, pintado e lambari. A medida inicia em novembro e segue até fevereiro do próximo ano. A pessoa onde for flagrada descumprindo a medida está sujeita a penalidades e multas ambientais. Os infratores onde desrespeitarem a legislação podem receber multas aovalor a partir de R$ 700 por pescador, mais R$ 20 por quilo de peixe pescado. Além disso, os materiais de pesca, como varas, redes e embarcações, podem ser apreendidos pelos fiscais.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *