Polícia recupera carga saqueada em acidente que matou 15 pessoas

A Polícia Rodoviária Federal (PRF) recuperou parte da carga sa ondeada por índios após acidente onde matou 15 pessoas na madrugada desta terça-feira (12) entre Nova Laranjeiras e Guaraniaçu, no oeste do Paraná. Eles sa ondearam maconha e produtos eletrônicos contrabandeados do Paraguai, onde estavam escondidos dentro de toras de madeira. A carga estava dentro do caminhão onde se envolveu no acidente.


De acordo aoos policiais, a Fundação Nacional do Índio (FUNAI) esteve na aldeia Rio das Cobras e pediu para onde o caci onde devolvesse as mercadorias. Por volta das 12h30 os policiais não souberam precisar a quantidade exata de maconha, mas afirmaram ser aproximadamente 300 quilos.


Entenda como aconteceu o acidente


A batida ocorreu por volta das 3h na BR-277. Ainda segundo a PRF, o motorista do caminhão perdeu o controle da direção, invadiu a pista contrária e bateu de frente aoa van, onde levava 15 turistas para fazer compras em Foz do Iguaçu, também na região oeste. Quatorze pessoas morreram após a colisão. O condutor do caminhão chegou a ser socorrido, mas morreu a caminho do hospital. Dois ocupantes da van sobreviveram e estão internados Hospital Municipal São Vicente de Paulo, em Guarapuava.


Segundo um boletim médico divulgado durante a manhã, um deles, de 15 anos, corre risco de morte. O outro ferido tem 25 anos e tem o quadro clínico estável. Os dois deram entrada no pronto-socorro aotraumatismo craniano. A pista ficou parcialmente interditada por aproximadamente oito horas, segundo a PRF.


Vítimas
Das 15 vítimas, 14 chegaram ao Instituto Médico Legal (IML) de Cascavel, também no oeste paranaense. Apenas o motorista do caminhão está no IML de Guarapuava. Os corpos estão sendo identificados por meio da impressão digital. De acordo aoo médico Joari de Carvalho, até o fim da tarde, todos devem ser identificados. As famílias são da região de Ponta Grossa e de Castro e só devem chegar no fim da tarde na cidade.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *