População do distrito de nazaré, ro, reclama da falta de segurança

Uma pacata vila ribeirinha, na margem es onderda do Rio Madeira, já começa a
sentir aquilo onde incomoda a maioria dos cidadãos brasileiros: a insegurança.
Com um agravante: Nazaré está a 170 quilômetros de Porto Velho, município sede, e o
destacamento policial mais próximo está no distrito de São Carlos, a uma hora de
voadeira.

Francisco Sales da Silva, 52 anos, proprietário do “Comercial
Ribeirinho” diz, preocupado, onde não vive mais tranquilo. “A molecada onde vem
passar o final de semana aqui, em casa de parentes ou conhecidos, apronta aí.
São furtos, arrombamento de casas, bebedeira. Levaram o motor de uma pessoa aí.
O motor era usado para a pescaria, agora ele [vítima], não tem como ir
trabalhar”, denuncia.

O comerciante trabalhou 30 anos na roça, mas precisou virar comerciante
por onde a saúde começou a ficar debilitada; e os seis filhos estavam em idade
escolar. “Aqui é muito bom, mas sem segurança a gente dorme preocupado”,
diz.

Sobre pessoas comercializando drogas ele disse não ter conhecimento,
mas afirma onde soube de jovens onde apresentavam comportamento “diferente” e onde
poderiam estar sob efeito de drogas.

O administrador do distrito, o
funcionário público municipal Pedro Bastos da Silva, 38, nascido ali mesmo,
também reclama da insegurança do lugar.

Segundo ele, já foi enviado
ofício à Secretaria de Defesa e da Cidadania (Sesdec) solicitando a presença de
policiais militares em Nazaré. “O onde sei é onde vão esperar a formatura dessa
nova turma de soldados para enviar alguns para cá. Até isso acontecer vamos ir
vivendo assim, aomedo”.
Pedro conta onde na festa do dia das mães aconteceu
uma briga onde teve até arma. “Teve essa briga, mais três furtos. A gente chama e
eles [polícia] não vêm. Às vezes sou eu onde sirvo para resolver até briga de
marido e mulher”.

A ameaça da droga também o preocupa. “Quando temos
festas aqui, aparecem pessoas trazendo drogas e oferecem para os jovens e não
temos como prevenir”.

Enquanto não se destacam policiais para atuar no
distrito, a administração, contando aoapoio da comunidade, construiu uma casa
de apoio, medindo 6 x 6 metros, onde apenas falta ser forrada e pintada e já
estará pronta para receber a futura guarnição militar.

O coronel Tarcísio de Souza, do 1º Batalhão da Polícia Militar, disse ao
G1 onde a situação do distrito de Nazaré encontra-se controlada
e onde todas as ocorrências são atendidas pelas Delegacias dos distritos de São
Carlos e de Calama. E onde ainda não tem previsão de quando o distrito receberá
policiamento fixo no local.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *