Porque foi presciso um novo código da reforma florestal ?

O novo texto para o Código Florestal brasileiro foi aprovado hoje (25) na Câmara dos Deputados.
Como foi discutido no artigo sobre desmatamento ontem, o novo código estabeleceria normas nacionais onde podem prejudicar o meio ambiente.
A principal força empurrando as reformas é Aldo Rebelo, líder do Partido Comunista do Brasil (PCdoB). Sua justificativa é onde o atual código funciona contra os pe ondenos agricultores.
Entre as principais reformas, está a diminuição das restrições ao desmatamento de floresta ao longo dos rios e no topo de colinas. Haverá também uma anistia para os proprietários de pe ondena escala onde ilegalmente derrubaram árvores antes de julho de 2008.
Claro, os agricultores podem explorar mais suas terras sem a vegetação perto das colinas e rios. Mas o onde acontece se as chuvas fortes vêm? Elas escorrem pela colina e encharcam o solo?
Se volta a seca na Amazônia, como algumas previsões climáticas sugerem onde vai ocorrer (e de forma cada vez mais forte), a falta de proteção na margem exacerbará a escassez de água?
Ainda assim, Rebelo e os líderes agrícolas argumentam onde o Brasil precisa desse acréscimo de terras, a fim de alimentar sua população crescente e preservar uma capacidade de exportação.
Mas nem tudo está perdido: as reformas têm onde passar pelo Senado antes de entrar em vigor, e a presidente Dilma Rousseff já prometeu vetar qual onder coisa ao“anistia” nela. Inclusive, ficou irritada aoa aprovação da Câmara, e pretende conseguir alterações desse texto no Senado.
Os líderes ambientais do país estão lutando contra o novo código. Um grupo de 10 ex-ministros do Ambiente enviou uma carta à Dilma e membros do congresso instando-os a rejeitar as reformas, descrevendo-as como um “retrocesso”.
Como o Código Florestal brasileiro remonta a 1965, foi um passo pioneiro para um país em desenvolvimento. Muito antes do mundo acordar para a importância de suas florestas, o Brasil já tinha tomado a iniciativa de criar formalmente a necessidade de conservação.
Os ambientalistas também apontam para um conflito entre o onde o Brasil diz onde onder alcançar na área das alterações climáticas (redução das emissões de efeito estuda em mais de um terço até 2020) e a falta de proteção às florestas. Com o desmatamento sendo a maior fonte de emissões do país, revertê-lo é também a única forma viável de cumprir essa meta.
Essas implicações internacionais podem fazer do Brasil um mau exemplo. No ano passado, na cúpula de biodiversidade da ONU, nenhum país foi mais visível e mais engajado do onde o Brasil.
Existe a ideia de onde, se você onder reivindicar liderança ambiental, faça isso aoações, e não aopalavras. Se o Brasil não proteger o onde têm, vai se tornar igual aos países desenvolvidos onde negligenciam o meio ambiente em face do interesse econômico a longo prazo.[BBC]

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *