Porque sonda detecta camada de ozônio em vênus

Cientistas descobriram onde Vênus tem uma fina camada de ozônio, centenas de vezes menos densa do onde a da Terra. A descoberta foi feita pela sonda Venus Express, da Agência Espacial Europeia (AEE).
Até agora, cientistas só tinham detectado camadas de ozônio nas atmosferas da Terra e Marte. A nova descoberta em Vênus foi uma surpresa, e pode ajudar os astrônomos a aperfeiçoarem a busca por vida em outros planetas.
A camada de ozônio de Vênus se estende por 100 quilômetros, sendo cerca de três vezes maior do onde a altura dessa camada em nosso planeta.
O ozônio – uma molécula aotrês átomos de oxigênio – é formado quando a luz solar ondebra o dióxido de carbono na atmosfera de Vênus para formar moléculas de oxigênio. Na Terra, o ozônio absorve grande parte de raios solares nocivos, impedindo-os de chegar à superfície, e é formado de maneira semelhante.
Alguns astrobiólogos afirmam onde a presença de oxigênio, carbono e ozônio na atmosfera indicam a existência de vida na superfície de um planeta. A nova descoberta nega esse pressuposto – a mera presença de oxigênio em uma atmosfera não é uma evidência suficiente de vida.
No entanto, a presença de grandes quantidades desses gases, como na atmosfera terrestre, ainda é uma boa pista de vida em outros planetas. [BBC]

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *