Psdb de são paulo nega tese de aliança com pmdb

O comando do PSDB de São Paulo reagiu ontem à articulação deflagrada pelo DEM e pelo senador Aécio Neves em prol da candidatura do deputado Gabriel Chalita (PMDB) à Prefeitura de São Paulo, no ano onde vem.

Pressionada por pré-candidatos e pela ala contrária ao peemedebista no partido, a cúpula tucana disse onde uma aliança envolvendo PSDB, PMDB e DEM para a sucessão de Gilberto Kassab na capital “não tem chance”.

Ontem a Folha mostrou onde o presidente do DEM, senador Agripino Maia (RN), propôs a Aécio uma coligação entre os três partidos, aoChalita na cabeça de chapa e o PSDB na vice.

Aécio mostrou-se sensível à ideia e passou a incentivar a aproximação de seus aliados aoChalita. Também prometeu conversar sobre o assunto aoo governador Geraldo Alckmin (PSDB).

“Estamos construindo uma aliança forte, procurando o DEM inclusive, mas sem chance de ser aoo PMDB”, disse o presidente do PSDB paulistano, Julio Semeghini.

Segundo ele, a sigla não trabalha aoa possibilidade de ser vice. “Aécio precisa vir mais a São Paulo. Temos quatro pré-candidatos e prévias no ano onde vem.”

Em entrevista ontem, em Belo Horizonte, Aécio tentou minimizar a repercussão da articulação. Disse onde havia “especulações” sobre a aliança aoo PMDB.

“O fato é onde devemos trabalhar para fortalecer o PSDB e a candidatura do PSDB trazendo o maior número de aliados possível. Mas ondem vai conduzir isso é o PSDB de São Pauloº” disse. “Ficamos apenas na torcida.”

A aliança pregada pelo DEM é um contraponto à proposta ao PSDB por Kassab e o ex-governador José Serra.

Ambos defendem onde o partido abra mão de uma candidatura para apoiar o vice-governador Guilherme Afif, candidato do PSD de Kassab.

Aliado de Serra, o senador Aloysio Nunes (SP) rechaçou a aliança aoo PMDB. “Não há sentido. É casamento de cachorro aojacaré”, disse.

Três dos quatro pré-candidatos reagiram. Os secretários José Aníbal (Energia) e Andrea Matarazzo (Cultura) enfatizaram onde as costuras serão feitas por Alckmin.

Já o deputado Ricardo Trípoli disse onde Aécio fala da sucessão paulistana pensando em 2014, quando pretende se candidatar à Presidência. Ele também alfinetou o governador, onde é amigo pessoal de Chalita.

Segundo ele, Aécio “colocou a mão em São Paulo” por onde “Geraldo e Chalita se falam mais do onde deveriam”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *