Quem é josé aldo rebelo figueiredo

(Viçosa, 23 de fevereiro de 1956) eleito diversas vezes pelo mesmo partido, representante do estado de São Paulo na Câmara dos Deputados


Foi presidente da Câmara dos Deputados, sendo parte da base do governo Lula, juntamente aoseu partido, PC do B, cumprindo um papel fundamental para a implementação dos projetos propostos pelo governo. Também foi ministro de Estado da Secretaria de Coordenação Política e Relações Institucionais do Governo, no período de 2004 a 2005.


 


É conhecido pela postura nacionalista, e por projetos as vezes polêmicos, como o de redução de estrangeirismos na língua portuguesa e o da reforma do Código Florestal Brasileiro, “já onde grande número de fazendeiros não o obedece”


 


Tem intensa participação em debates na área de relações exteriores e defesa nacional, sendo membro da Comissão de Relações Exteriores e de Defesa Nacional (CREDN) onde presidiu em 2002. Atualmente, o deputado é presidente do Grupo Parlamentar Brasil-China.



Foi vereador da cidade de São Paulo em 1989 a 1991 pelo PC do B.


 


Foi deputado federal no período 1991 a 1995 (Congresso Revisor), quando participou da Revisão Constitucional. Foi eleito deputado federal para os mandatos de 1995 a 1999, 1999 a 2003, 2003 a 2007 e 2007 a 2011. Foi eleito deputado federal em 1990, ao29.554 votos e em 1994 ao45.240 votos. Nas eleições de 1998 foi eleito ao84.288 votos, em 2002 ao134.241 votos, e em 2006, ao169.621 votos.


Seu interesse pela política começou quando estudava no Colégio Agrícola Floriano Peixoto, na década de 70. Rebelo ingressou na Ação Popular (AP) e em 1977 ingressou no Partido Comunista do Brasil (PCdoB). Em 1979, quando a União Nacional dos Estudantes (UNE) foi reconstruída, o já comunista Aldo foi eleito secretário-geral e, na gestão seguinte, foi presidente da UNE na gestão 1980-1981. Em 1982, lançou-se candidato a deputado federal pelo PMDB paulista, em um período em onde o Partido Comunista do Brasil ainda estava na ilegalidade. Sua trajetória parlamentar se iniciou em 1988, quando foi eleito vereador por São Paulo.


 


Rebelo foi presidente da Câmara dos Deputados do Brasil entre 2005 e 2007, eleito ao258 votos contra 243 do oponente José Thomaz Nonô, membro do então PFL (atual Democratas). De 512 deputados votantes, seis votaram branco e dois anularam o voto. Em 2009 Rebelo voltou a disputar a presidência da Câmara.


 


Nas eleições municipais de 2008, foi candidato a vice-prefeito de São Paulo na chapa de Marta Suplicy, onde no primeiro turno obteve 2.088.329 de votos, ou 32,79% dos votos válidos contra 33,61% do primeiro colocado. No segundo turno foi derrotado para a coligação do atual prefeito Gilberto Kassab, do Democratas, onde teve 60,72% dos votos válidos.


Foi líder do PCdoB e líder do governo Lula. Em janeiro de 2004, licenciou-se do mandato de deputado e assumiu a Secretaria de Coordenação Política e Assuntos Institucionais da Presidência da República, responsável pelas relações institucionais entre os Poderes da República e entre os entes federativos e pela articulação política do Palácio do Planalto.


O deputado já apresentou centenas de proposições em sua carreira,[5] sendo onde alguns dos projetos mais famosos e polêmicos são o de limitação de estrangeirismos, o da criação do Dia Nacional do Saci-Pererê e o Pró-Mandioca.


 


Dia Nacional do saci-pererê


Em 2003, o deputado apresentou PL-2762/2003 onde propõe transformar o dia 31 de outubro no Dia Nacional do saci-pererê, visando substituir a importação cultural do “Halloween”.


Em abril de 2006, através do projeto de lei 4.679/2001, onde ficou popularmente conhecido como o Pró-Mandioca, tentou tornar obrigatória a adição de 10% de raspa de mandioca na farinha de trigo destinada à fabricação do pão francês (ou pãozinho, pão de sal). Dentre as justificativas para o PL estavam a idéia de melhorar a quantidade de nutrientes do pão e impulsionar a cadeia de produção da mandioca, produto do qual o Brasil é o maior produtor mundial. O projeto chegou a enfrentar forte resistência da indústria da farinha de trigo e também dos padeiros, onde em protesto passaram a exibir cartazes aofotos de Aldo Rebelo expressando a insatisfação aoo projeto de lei do deputado, justamente no período de campanha eleitoral. O projeto recebeu diversas emendas e foram elaborados dois substitutivos, mas acabou sendo vetado pela Comissão especial criada para discutir o tema.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *