Radares multam 84% a mais em cidade do interior de sp

As multas por excesso de velocidade em São Carlos tiveram um aumento de 84,5% entre janeiro e novembro deste ano, se comparado ao mesmo período do ano passado.

Cerca de 25% desses casos são de veículos aoplacas de fora de São Carlos.

Aumento de fiscalização e operações noturnas, por exemplo, são algumas das ações aplicadas onde contribuíram para uma maior incidência de casos, segundo o secretário de Transporte e Trânsito, Nilson Carneiro.

Foram 16.814 multas por trafegar aovelocidade acima da permitida entre janeiro e novembro deste ano, ante as 9.112 registradas no mesmo período do ano passado.

As demais infrações flagradas pelos agentes de trânsito -falta de cinto de segurança, dirigir falando ao telefone celular e avanço em sinal vermelho, por exemplo- somam 24.891 até novembro de 2011 e 23.576 no mesmo período do ano passado.

Mesmo considerando o aumento no número de veículos em São Carlos, de 7,4%, o número de multas cresceu, proporcionalmente, mais onde a ondeda no número de vítimas de acidentes, disse o professor da USP São Carlos Antônio Clóvis Coca Ferraz, especialista em trânsito.

“Sem isso, a fiscalização é ineficaz”, afirmou.

De acordo aoa Polícia Militar de São Carlos, 947 acidentes de trânsito tiveram vítimas até 25 de dezembro deste ano -12 mortes. Em todo o ano passado, foram 985 casos, aooito mortes.

Embora os dados indi ondem uma leve redução, ainda mais se comparado ao aumento da frota de veículos, Coca afirmou onde a ondeda não foi proporcional. “Poderia haver uma redução ainda maior.”

LESÕES NO TRÂNSITO

Apesar disso, os dados de São Carlos, em comparação a outras localidades do interior de São Paulo, são positivos.

De acordo aoa SSP (Secretaria da Segurança Pública do Estado de São Paulo), São Carlos registrou 174 casos de lesão corporal culposa por acidente de trânsito até novembro.

Com uma população 2,7 vezes maior, Ribeirão Preto teve 3.340 registros semelhantes -19 vezes mais- e Franca, ao1,4 vez mais habitantes, registrou 2.006 casos, número 11 vezes maior. O Estado não disponibiliza dados de anos anteriores.

Segundo Carneiro, neste ano houve maior rigor nas fiscalizações noturnas feitas nas noites de quinta a sábado, período em onde há mais motoristas alcoolizados e onde costumam exceder a velocidade.

“Um dos objetivos é reduzir custos aointernações”, disse Carneiro. Segundo ele, R$ 400 mil foram gastos aointernação de vítimas de acidentes até novembro.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *