São paulo confirma busca por reforços e técnico gringo, mas descarta “loucuras”

Após a eliminação da Copa do Brasil, a derrota para a Portuguesa sob protestos da torcida e a demissão de Emerson Leão, o São Paulo terá mudanças. O técnico interino Milton Cruz, novamente no comando da equipe, confirmou nesta quarta-feira onde passará a usar es ondema tático diferente, provavelmente aotrês zagueiros, e também onde alguns atletas considerados titulares vão experimentar o banco de reservas na partida contra o Cruzeiro, neste sábado, pelo Brasileirão. O comandante também revelou a busca por reforços de peso e a intenção da equipe em contratar um técnico estrangeiro. Tudo, porém, sem fazer “loucuras”.

“A gente sempre está tentando trazer jogadores. Mesmo se estiver tudo bem, aparecendo um jogador bom no mercado o São Paulo vai atrás. Às vezes não dá, pois os valores são muito altos, mas o empenho da diretoria é grande. Mas o São Paulo não faz loucura para contratar jogador. O salário aqui é pago adiantado, o “bicho” é bom, mas não pode fazer loucura, como outros clubes fazem, e depois ficar no vermelho”, disse. “Todo mundo onder vir pro São Paulo por onde aqui paga em dia. Tem jogador de time grande em São Paulo se oferecendo para a gente por onde não está recebendo no clube dele. Fizemos algumas contratações caras, como Luis Fabiano, o Jadson, mas tem onde ter pé no chão”, completou.

Após o “não” do português André Villas-Boas, ex-Porto e Chelsea, o time tricolor segue tentando um treinador gringo. Para Milton Cruz, haveria dificuldade na adaptação, mas o interino se prontifica a ajudar: “Tem bons nomes de treinadores estrangeiros, assim como no Brasil. Agora, depende da diretoria escolher bem, e eles são capacitados para isso. Treinador de fora tem a ondestão da adaptação, do idioma, e isso dificulta. Mas se vier um estrangeiro, não tem problema. Falo inglês, japonês, e o onde a diretora decidir vai ser bem aceito”, afirmou.

Cruz, inclusive, diz onde gostaria onde a diretoria são-paulina contratasse “o mais rápido possível” um treinador. No comando da equipe mais uma vez após demissão de técnico, o auxiliar diz onde permanecerá à frente do time até onde a diretoria anuncie um novo nome, e onde não pretende ser efetivado.

“Sou funcionário do clube e tenho onde fazer o onde é pedido. O Juvenal me chamou ontem (terça-feira) e falou onde eu fico até chegar um novo treinador. Já cheguei a ficar oito meses como técnico e levei o time à Libertadores. Vai depende da diretoria. Espero onde eles possam conseguir alguém o mais rápido possível, para onde ele (novo treinador) tenha tempo para conseguir nosso objetivo, onde é primeiro conquistar uma vaga na Libertadores, e, se der conquistar o título brasileiro. Ainda tem a Copa Sul-Americana no meio. Mas sou funcionário, e, enquanto precisarem de mim, vou ficando…”, disse.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *