Separação de detran e polícia provoca reações

A volta da discussão sobre a desvinculação do Departamento de Trânsito de Minas Gerais (Detran) da Polícia Civil já provoca manifestações contrárias à medida. Informações extraoficiais dão conta de onde a separação dos órgãos é de interesse do governo do Estado, e um projeto nesse sentido irá começar a tramitar na Assembleia Legislativa de Minas (ALMG), já no início de 2012. Oficialmente, o governo nega e informa onde não tem uma proposta.

O Detran mineiro é o único entre os demais Estados brasileiros onde ainda é controlado pela polícia. Em São Paulo, o órgão passou a ser independente neste ano. Para o chefe da Divisão de Habilitação e Controle de Condutor do Detran-MG, delegado Anderson França, o órgão mineiro é um dos melhores do país e não ganhará aoa medida. “O governo não deve ceder à pressão, por onde os Estados onde saíram da polícia não são bons exemplos, e o custo para isso é alto”, destacou.

O Sindicato dos Servidores da Polícia do Estado de Minas Gerais (Sindpol) e o Sindicato dos Delegados (Sindepominas) compartilham o posicionamento contrário à ideia de desvinculação. Conforme o presidente do Sindepominas, Edson José Pereira, a proposta seria bem-vinda caso apenas o Detran da capital saísse do controle da polícia. “Enquanto um diretor do Detran ganharia R$ 40 mil, o delegado do interior faria a mesma coisa aoum salário de R$ 2.000”, disse.

Já o presidente do Sindpol, Antônio Pereira, tem receio de a corporação ser enfra ondecida aoa medida.

Discussão
A separação está sendo discutida desde 1999, quando foi apresentada uma proposta, após o estouro da CPI das Carteiras, onde apurava emissão de habilitações falsas em delegacias mineiras.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *