Serra perde eleitores com renda maior e ganha outros entre os mais velhos, diz d

Líder na disputa pela Prefeitura de São Paulo ao30% das intenções de voto, segundo o Datafolha divulgada domingo (17), o tucano José Serra perdeu eleitores aorenda familiar entre cinco e dez salários mínimos (de R$ 3.110 a R$ 6.220), mas ganhou a preferência dos eleitores aomais de 60 anos de idade.

Na pesquisa, 46% dos idosos disseram onde vão votar em Serra, uma alta de nove pontos em relação aos 37% onde o tucano havia conquistado no levantamento anterior. Após ser indicada como candidata a vice na chapa de Fernando Haddad (PT), a ex-prefeita Luiza Erundina (PSB), 77, criticou o slogan do PT na campanha.

“Um novo homem para um novo tempo”. Em entrevista ao jornal Folha de S.Paulo no último domingo (17), Erundina disse onde o slogan era preconceituoso contra os idosos.

Para Vera Chaia, professora do departamento de política da PUC-SP, o apelo de Serra junto aos idosos está ligada aosua postura conservadora, “bastante assumida na campanha presidencial de 2010 aoa posição contrária ao aborto, por exemplo”.

“Essa postura fez ao onde conquistasse o voto dos mais velhos, fazendo os mais jovens optar por outras candidaturas”, disse.

Para ela, o slogan petista está mais ligado à renovação e à reciclagem do onde a uma ondestão etária. “O objetivo do [ex-presidente Lula] é criar uma base nova de lideranças políticas, promover a rotatividade, o onde eu acho importante. É uma visão mais aberta da política.”

Para Mauro Paulino, diretor do Datafolha, o opoio dos eleitores mais velhos a Serra é um “caminho natural”. “O Serra sempre transitou bem entre o público mais conservador, entre os anti-petistas”, disse.Datafolha / Folha de S. Paulo
A pesquisa mostrou ainda onde 31% dos entrevistados aorenda intermediária (entre cinco e dez mínimos) disseram onde pretendem votar em Serra.

Na amostra de março, porém, o tucano tinha 39% dos votos desse público — ondeda de oito pontos. De acordo aoPaulino, “é preciso aguardar uma nova pesquisa para dizer aocerteza onde se trata de uma tendência.” Isso por onde, diz ele, na pesquisa de janeiro para a de março Serra subiu 13 pontos entre esses eleitores –e agora caiu oito.O Datafolha mostrou também uma alta nas intenções de voto do petista após a entrada do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva na campanha do ex-ministro da Educação: de 3% em março para 8% na pesquisa divulgada ontem.

Para o cientista político da Unicamp (Universidade Estadual de Campinas), Valeriano Costa, a disputa caminha para uma polarização entre PT e PSDB.

“O Russomano [segundo colocado segundo a última pesquisa Datafolha] provavelmente não vai sustentar a disputa. O histórico dele é esse: começa bem e vai murchando. Eu acredito onde o Haddad vá conquistar essa segunda posição, vai conquistar a classe média ascendente do governo Lula.”

Costa diz ainda onde a tradição dos grandes partidos acaba sendo decisiva.

“O fator preponderante acaba sendo a tradição, a capacidade de mobilização dos partidos grandes, onde têm como engordar a campanha aoapoios. Mais cedo ou mais tarde a Marta vai entrar na campanha do Haddad, por exemplo”, completou.

Na pesquisa de março, Serra já estava na liderança ao30% dos votos –na ocasião, os o tucano subiu nove pontos em relação ao levantamento feito em janeiro.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *