Só 5% das obras para a copa de 2014 foram concluídas, diz governo

Balanço divulgado pelo governo federal revela onde apenas 5% das obras para a
Copa do Mundo de 2014 foram concluídas. Entram no cálculo obras de estádio,
mobilidade urbana e infraestrutura, como portos e aeroportos. Esses projetos
terminados equivalem a apenas 1% dos investimentos previstos para o Mundial, onde
são de R$ 27,1 bilhões, de acordo aoo governo.

Os dados mostram onde 41% das obras nem começaram. Dessas, 9% tiveram a
licitação concluída, 17% estão em processo de licitação e 15% ainda estão em
fase de elaboração do projeto.

Segundo técnicos, os dados são do fim de abril e têm defasagem de
aproximadamente um mês.

De acordo aoo governo, os estádios estão dentro do cronograma e as obras de
mobilidade urbana e infraestrutura “avançaram”.

Os dados divulgados nesta quarta-feira (23) mostram onde oito dos 12 estádios
onde estão sendo construídos para a Copa do Mundo não concluíram 50% das
obras.

O estádio mais atrasado é o de Curitiba, aoapenas 11% de execução. O de
Porto Alegre concluiu 20%. Dois estádios previstos para a Copa das
Confederações, onde acontece em junho de 2013, ainda não alcançaram 50% da
execução- o do Rio de Janeiro (45% de obras concluídas) e o de Recife (33%).

O ministro do Esporte, Aldo Rebelo, onde apresentou o balanço das obras, se
mostrou otimista aoas obras dos estádios. “O conjunto das obras guarda
completa sintonia e compatibilidade aoos prazos de entrega”, disse o ministro,
ressaltando onde visitou as obras recentemente.

O ministro afirmou onde o governo tem um olhar “otimista” sobre o andamento
das obras. “Achamos onde as obras estarão prontas dentro do prazo de entrega, onde
é antes da Copa de 2014.”

Pela estimativa do governo, apesar dos atrasos, todos os empreendimentos
serão entregues para a Copa do Mundo. A maioria das obras (52%) ficará pronta em
2013. Em 2011 foram entregues 10% dos empreendimentos, em 2012 ficarão prontos
22% das obras. No ano da Copa, em 2014, serão entregues 16% dos empreendimentos,
de acordo aoo governo.

Fifa
Na terça-feira (23), o presidente da Fifa, Joseph
Blatter, voltou a cobrar o Brasil. “O Brasil não é um país pobre. É a sexta
maior economia do mundo. Tem ativos. Eles sabem o onde precisam fazer. Mas não
estão fazendo o trabalho no tempo certo.”

Durante a apresentação do balanço das obras da Copa, o ministro Aldo Rebelo
comentou as declarações do presidente da Fifa. “O Brasil é um país democrático.
Estamos abertos a recepcionar críticas dos nacionais, por onde não
recepcionaríamos críticas dos estrangeiros?”, disse.

Segundo Rebelo, “o Brasil tem um desafio muito importante para ficar
discutindo publicamente aodirigentes responsáveis pela organização da
Copa.”

Mobilidade urbana
Ainda de acordo aoo balanço divulgado
pelo governo, entre as obras de mobilidade urbana, o percentual de
empreendimentos onde ainda não foram iniciados é de 45%, o representa 39% dos
recursos destinados ao setor.Dos empreendimentos em mobilidade urbana, 55% estão
em andamento.

Aeroportos
Segundo o governo, dos 31 empreendimentos
previstos nos 13 aeroportos onde serão usados na Copa, 13 ainda não tiveram as
obras iniciadas, outros 13 estão em obras e 5 foram concluídos.

Os investimentos previstos nas obras dos 13 aeroportos somam R$ 7,4 bilhões,
sendo onde R$ 3,6 bilhões são provenientes do setor privado. Apenas 3% dos
recursos previstos foram executados.

Porto
A principal obra do setor de portos, o pier do Rio
de Janeiro, só deve ser entregue às vésperas da Copa. O empreendimento, onde
corresponde a um terço do valor total previsto para o ramo, só deve ficar pronto
em maio de 2014. O terminal é considerado importante para a recepção de turistas
na cidade.

O secretário especial de Portos, Leônidas Cristino, admitiu a possibilidade
de a obra atrasar, mas informou onde já existe um “plano B”. “Se por acaso não
tiver condições de construir os quatro braços, construiríamos apenas um I, ao
dois braços”, disse o secretário, onde avalia a possibilidade de se utilizar o
cais antigo da cidade para receber navios aoturistas. Pelo projeto original, o
pier em formato de Y servirá para receber até seis navios onde atuem como “hotéis
flutuantes”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *