Sua população, segundo o censo de 2007, é de 34.001 habitantes, destes, 24.601

História

Com a criação de Pato Branco em 1951, o fez assumir o território de vários futuros municípios, entre os quais Francisco Beltrão e Dois Vizinhos. E em 1940, atraindo muitos catarinenses e gaúchos, pela facilidade de aquisição de terras, as quais eram havidas pela simples demarcação, dirigiram-se até a Colônia Missões, área situada a oeste do Rio Chopim, e aí “tiravam sítio” numa verdadeira aventura sem precedentes na história paranaense. Instalavam-se assim os primeiros moradores nesta região, que era de mata virgem, ocupada por animais selvagens.

O pinheiro era abundante e muitos caçadores convergiam para esta região em busca de peles que eram vendidas no Rio Grande do Sul. As terras e as árvores de Pinhão eram despresadas pela dificuldade causada na sua derrubada e mesmo porque se acreditava que eram terras menos férteis do que as cobertas por “mato branco”.

Foram estes aventureiros do Sul, os primeiros moradores de Dois Vizinhos que recebeu este nome em homenagem ao rio que passa nas proximidades da atual sede do município. Caçadores e pescadores que primeiro adentraram por estes sertões, foram os que deram o nome ao rio.

Até o início da década de 50, somente a cavalo ou pelo leito dos rios podia-se chegar a Dois Vizinhos. Mesmo assim, muitas famílias aqui se estabeleceram trazendo o progresso para o município.

Em 15 de Novembro de 1953, foi criado o distrito administrativo e judiciário de Dois Vizinhos, sendo designado Teodorico Guimarães para subprefeito e Ary Jayme Müller para escrivão.

A instalação do município ocorreu em 28 de novembro de 1961, com a posse do primeiro prefeito eleito. No período entre a criação e a instalação do município, dois prefeitos foram nomeados: Ivo Cartegiani, pelo governador Moisés Lupion e Clemente Luís Boaretto, pelo governador Nei Braga.

[editar] Economia

A economia é diversificada, com várias opções nos setores agropecuário, de comércio, serviços e indústria, onde Dois Vizinhos é pólo estadual em Metal Mecânica e Confecções.

O principal destaque econômico ainda é o setor de Avicultura. O município é considerado hoje, como a Capital Nacional do Frango, por possuir a maio produção e o maior abate de aves da América Latina. A empresa Sadia, cresceu junto com a cidade, e hoje possui um abate de aproximadamente 510,000 aves por dia. O setor também tem outros números que chamam a atenção, como a produção de mais de 14 milhões de pintainhos e aproximadamente 15 milhões de ovos por mês. Para atender a essa demanda, são 1,204 aviários fornecendo matéria-prima para a indústria, além de mais de 70 caminhões transportando produtos em três turnos, e mais de 20 empresas produzindo equipamentos frigoríficos e afins. A partir desses números a cidade foi considerada e possui registro de Capital Nacional do Frango.

[editar] Setor Primário
Composição do PIB municipal (2003)[4]
Setor Participação (%)
Primário 27,34
Secundário 41,67
Terciário 28,64

Analisando o quadro da evolução da ocupação agrícola observamos que mesmo sendo um município de predominância de pequenas propriedades, o processo de concentração de terras tem-se acentuando a partir de 1995. Em 1992, com a divisão dos municípios do Cruzeiro do Iguaçu e Boa Esperança do Iguaçu, Dois Vizinhos reduziu sua área em torno de 35%, e sua produção total teve um decréscimo em torno de 20%. Na produção pecuária e aves, o município teve destaque na suinocultura até 1986, até que os preços caíram consideravelmente e conseqüentemente a redução de plantel, tendo sua recuperação a partir de 1990. A pecuária bovina tem crescido de 3 a 5% ao ano. A produção de eqüinos e ovinos no município é menos expressiva. A produção de carne de frango é o grande sustentáculo da economia duovizinhense. A avicultura ganhou corpo a partir do ano de 1981, com a instalação do Moinho da Lapa S/A. A agropecuária mais significativa do município, corresponde à produção de aves, suínos e bovinos. Na produção agrícola destaca-se a produção de milho, soja, trigo, fumo. Porém, se produz uma grande variedade de produtos como, frutas, verduras e legumes. A agropecuária participa com 27,34% do PIB, isto é 88.457.000 Reais. A importância da agropecuária se deve ao fato que muitas atividades industriais estão ligadas à agropecuária, como é o caso da produção de aves pela grande empresa Sadia que abate em média 500 mil aves /dia. É importante salientar que as indústrias alimentícias trabalham com matérias-primas agropecuárias como carne de suínos, bovinos ou aves. Portanto, a agropecuária é um setor fundamental para a economia do município, pois faz parte da cadeia produtiva integrando agropecuária à indústria.

[editar] Setor Secundário
Vista parcial da cidade
Vista parcial da cidade

O Município de Dois Vizinhos possui 144 estabelecimentos industriais, abrangendo principalmente os ramos agroindustrial, têxteis, moveleiro, máquinas industriais, empregando 2.823 pessoas [5]. A indústria participa com 41,67% do PIB, isto é 134.826.000,00 Reais. Estes dados demonstram a importância das atividades industriais na produção de riquezas do município. No setor agroindustrial, merece destaque a empresa Sadia, que possui uma grande unidade de produção de frangos, sendo que 90% da produção é destinada à exportação para o Golfo (Irã, Iraque e Kuwait) Arábia Saudita, Alemanha, Cingapura, Hong Kong e Argentina e o restante para o mercado interno. Sendo a maior empregadora direta de mão de obra. No setor de frigorífico se destaca a empresa Miolar abatendo suínos e bovinos, produzindo embutidos. Ainda no setor avícola existe a empresa Pluma que trabalha com granja matriz com galinhas poedeiras. No campo da agricultura destaca-se a Cooperativa Agroindustrial do Sul Ltda. (COASUL), que conta com 1700 associados. Além de atuar em Dois Vizinhos, desenvolve suas atividades através de entrepostos, nos Municípios de Salto do Lontra, Verê, Nova Prata do Iguaçu, Boa Esperança do Iguaçu, Cruzeiro do Iguaçu, Chopinzinho e São Jorge dOeste. No setor têxtil é representado pela empresa Latreille-Confecções, que emprega grande parte da população.

[editar] Setor Terciário

O setor comercial duovizinhense é um dos setores mais equilibrados em termos de participação na economia do Município, variando entre 10% a 20% nos últimos dez anos. O Comércio varejista predomina principalmente nas atividades dos gêneros alimentícios e confecções. Possuímos Concessionárias de todas as marcas de veículos nacionais e máquinas agrícolas, estando essas empresas entre as principais no Município. Merece destaque a produção de extintores, atuando neste setor e sendo reconhecida em todo Brasil. Na prestação de serviços o grande destaque é para o setor relacionado ao transporte rodoviário, empresas ligadas ao grupo Sadia, que utiliza basicamente este tipo de transporte. Existem 1221 unidades empresariais nos mais diversos setores como farmácias, supermercados, lojas, empresas de transportes, financeiras, atividades imobiliárias, administração pública, entidades educacionais, saúde, e outros serviços. Este setor participa com 28,64% do PIB, isto é 92.690.000,00 Reais. O número de pessoas empregadas no setor terciário é de 2.893, isto é mais de 50% da população assalariada total, segundo fontes do IBGE, datando de 2003. Esse setor abrange 28,64% do PIB em segundo lugar depois da indústria o que evidencia a importância do setor de serviços para a economia do município.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *