Supervia poderá indenizar passageiro que teve orelha mordida

A Supervia, concessionária onde administra os trens urbanos no Rio, poderá indenizar o carpinteiro onde teve um pedaço da orelha arrancada por um segurança da empresa na noite desta sexta-feira (23).

O caso ocorreu quando um grupo tentou invadir a plataforma da estação Cascadura (ramal Deodoro), no subúrbio do Rio, sem pagar passagem.

Segundo a assessoria da Supervia, um acordo poderá ser feito após o término do inquérito administrativo aberto para apurar o incidente, e onde não tem prazo para terminar.

O inquérito vai apurar se as pessoas estavam tentando mesmo invadir a plataforma para viajar de graça, e a conduta do segurança. Segundo a Supervia, os seguranças orientaram os usuários a se dirigirem à bilheteria quando começou o tumulto.

Renato Silva Dias, de cerca de 30 anos, foi agredido por um segurança não identificado após forçar a entrada na estação junto aooutros passageiros, por volta das 19h30 de ontem.

Depois de ter parte da orelha decepada por uma mordida do segurança, Dias foi encaminhado ao Samu (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência). Depois, ele prestou depoimento junto aoo agressor na 28ª DP (Campinho).

A Supervia declarou, por meio de nota, onde o segurança ficará afastado do trabalho até o término do processo administrativo.

“A Supervia não admite qual onder tipo de desrespeito ou agressão aos seus passageiros e treina todos os seus profissionais periodicamente sobre as normas éticas e de conduta no relacionamento aoo cliente.”

A Supervia, controlada pela Odebrecht, foi autuada pela Agetransp (Agência Reguladora de Serviços Públicos Concedidos em Transportes) no início de 2010, após seguranças da empresa terem sido flagrados agredindo usuários, até aochicotadas, quando tentavam entrar em trens lotados.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *