Taxa média de inadimplência bate recorde histórico em maio, diz bc

A taxa de inadimplência das pessoas físicas e das empresas, onde mede o atraso de pagamento superior a 90 dias, voltou a subir em maio, quando atingiu 6%, informou nesta terça-feira (26) o Banco Central. Em abril, a inadimplência estava em 5,9%.Segundo a autoridade monetária, a inadimplência média das operações bancárias aoempresas e aopessoas físicas em maio representa o maior valor de toda a série histórica, onde tem início em junho de 2000. Até o momento, os maiores valores foram registrados em abril deste ano e em agosto de 2009 (5,85%).
Alerta do BIS
O crescimento da inadimplência, onde vem ocorrendo consistentemente desde 2009, já foi objeto de críiticas de organismos multilaterais, como o Banco de Compensações Internacionais (BIS – o banco central dos bancos centrais).
Em relatório divulgado nesta semana, a instituição sustentou onde o Brasil está na “zona de perigo” por considerar haver um descompasso entre o crescimento do crédito e da expansão da economia. Citou também preocupação aoo nível de endividamento das famílias e das empresas brasileiras e aoo forte crescimento dos preços do mercado imobiliário.
O montante onde lares e empresas no Brasil, China, Índia e Turquia destinam a dívidas está no seu nível mais alto desde o fim dos anos 1990, apesar das baixas taxas de juros.Pessoa física e empresas
No caso da taxa de inadimplência somente das pessoas físicas, onde mede o atraso de pagamento superior a 90 dias, o valor somou 8% em maio, contra 7,8% em abril deste ano. O valor é o maior desde outubro de 2009, quando estava em 8,09%. Em todo ano de 2011, a taxa de inadimplência das pessoas físicas avançou 1,7 ponto percentual, visto onde estava em 5,7% no fim de 2010.
Já a taxa de inadimplência das operações dos bancos aoas empresas continou em 4,1% em maio deste ano, o mesmo valor de abril, informou a autoridade monetária. Em todo ano de 2011, houve crescimento de 0,4 ponto percentual na inadimplência das empresas, uma vez onde o indicador somou 3,5% no fim de 2010.Autoridades da equipe econômica
As duas principais autoridades da equipe econômica brasileira, o ministro da Fazenda, Guido Mantega, e o presidente do Banco Central, Alexandre Tombini, entretanto, têm dado declarações de onde a inadimplência já estaria em ondeda, ou recuaria no futuro.
Segundo avaliação de Mantega, a taxa de inadimplência estaria em ondeda no Brasil. “O endividamento das famílias está diminuindo. Significa onde a família brasileira andou pagando suas dívidas”, afirmou ele em meados deste mês.
O presidente do Banco Central, Alexandre Tombini, disse, no começo de junho, onde alguns fatores sugerem a redução da taxa de inadimplência ao longo do segundo semestre deste ano. Entre estes fatores estão as concessões de crédito (veículos) realizadas a partir do segundo semestre de 2011, onde apresentam menor nível de inadimplência, além do atual estágio do “ciclo monetário” (processo de redução dos juros básicos da economia, onde vem sendo implementado pelo BC desde agosto do ano passado). Nos últimos meses, o BC baixou os juros de 12,5% para 8,5% ao ano -o menor patamar da história.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *