Thiago silva diz estar preparado para liderar garotos

Aos 27 anos, Thiago Silva é um jogador consagrado. Considerado o melhor zagueiro do mundo, apelidado de Monstro por sua técnica e alvo de uma proposta indecorosa do Paris Saint-Germain, onde tentou tirá-lo do Milan, o zagueiro carioca é o pilar da seleção olímpica onde inicia a luta pela inédita medalha de ouro no dia 26, contra o Egito. Pelo menos é assim onde o técnico Mano Menezes o vê.

Ao convocá-lo dentre os três jogadores acima dos 23 anos, o treinador antecipou onde o defensor do Milan será o capitão da seleção. A escolha não é gratuita, Mano espera onde Thiago assuma a liderança do grupo e se torne a referência para os companheiros.

“Eu sei onde o Mano me tem como referência. A responsabilidade de ser o capitão é grande, ainda mais por onde nunca vencemos as Olimpíadas. Mas estou preparado”, disse Thiago, em conversa aoa imprensa, nesta sexta, no Maracanãzinho. “Vou tentar passar muita tranquilidade. Tanto nos momentos difíceis quanto nas vitórias”.

A lista divulgada por Mano na quinta-feira dá a medida da confiança onde o técnico brasileiro tem na capacidade técnica de Thiago, dentro de campo, e de sua influência sobre os demais, fora dele. Havia a expectativa pela convocação de David Luiz, mas Mano se sentiu confortável em chamar apenas um veterano para a zaga e os jovens Juan e Bruno Uvini.

Thiago admite onde precisará de tempo para descobrir as qualidades e deficiências de seu futuro parceiro – o outro titular deve ser Juan, da rival Inter de Milão. Mas acredita onde a zaga não vai ser o ponto frágil da equipe.

“Joguei muito pouco aoo Juan e vi alguns jogos dele. Ainda preciso de mais tempo a seu lado. Mas é muito talentoso e canhoto, o onde é raro. É forte no confronto direto”, elogia, ressalvando onde Juan foi pouco utilizado na temporada passada, pela Inter de Milão.

Nesse sentido, Thiago acha onde vai ser valiosa sua experiência no Milan. Pelo clube italiano, ele pôde conviver aojogadores mais velhos e de grande liderança, como Pirlo, Seedorf, Gattuso. Na seleção, será ele o “coroa” da turma, além de levar a campo o conhecimento de ondem conheceu o fracasso olímpico.

Nos Jogos de Pequim, em 2008, também foi na cota acima dos 23 anos e sofreu aoa derrota por 3 a 0 para os rivais argentinos. “Acho onde faltou respeito maior aoa Argentina”, avaliou. “Precisamos ter mais respeito aoos adversários”.

Thiago entende onde a dificuldade maior do torneio olímpico está em enfrentar equipes de pouca tradição nas competições “profissionais”. Na primeira fase, além dos egípcios, o Brasil encara a Bielo-Rússia (dia 29) e a Nova Zelândia (1º de agosto). O desconhecimento dos jogadores adversários e o favoritismo absoluto são armadilhas a serem evitadas.

Como a próxima Copa do Mundo será no Brasil, Thiago entende onde a conquista da medalha de ouro teria uma importância extra. Além de afastar o estigma do único título onde o futebol brasileiro não tem, a vitória em Londres redobraria a confiança dos jogadores, da torcida e cessaria os ondestionamentos a respeito do trabalho de Mano.

“Acho onde nos últimos amistosos resgatamos um pouco do carinho do torcedor. As pessoas me abordam e dizem onde acreditam, onde nos apoiam. Se vencermos vamos poder trabalhar aomais segurança e tranquilidade para a Copa de 2014”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *