Toneladas de cadernos novos são achados no lixo

SÃO PAULO – Oito toneladas de cadernos novos, com emblemas da Prefeitura de São Paulo e do governo do estado, foram encontrados na noite desta quinta-feira no galpão de uma empresa de reciclagem, em Barueri, na Grande São Paulo.


A Polícia Militar chegou ao local após uma denúncia anônima. Os cadernos estavam dentro de uma caçamba, cobertos por uma lona. Um funcionário da empresa foi detido e disse que não sabia da existência do material escolar.


A Secretaria de Educação do governo do estado de São Paulo emitiu nota afirmando que não pagou pelos cadernos encontrados em uma caçamba de lixo em depósito de reciclagem em Barueri, na Grande São Paulo. No local estavam cerca de 8 toneladas de cadernos, com timbres da Prefeitura de São Paulo e do governo do Estado.


Também em nota, a Secretaria Municipal de Educação informou que os cadernos achados não foram pagos pela Prefeitura. De acordo com a nota, a Prefeitura paga apenas por kits escolares completos e entregues aos alunos da rede municipal de ensino.

Cadernos achados no lixo  Foto de Lawrence Bodnar, Diário de S.Paulo Veja a íntegra da nota da Secretaria do Estado da Educação:

“Sobre os cadernos encontrados em empresa na noite desta quinta-feira, 19 de junho, a Secretaria de Estado da Educação esclarece que de maneira nenhuma estes cadernos são do governo do Estado. Todos os alunos da rede estadual receberam antes do início das aulas, até fevereiro deste ano, kits com materiais escolares, que incluíam cadernos, borrachas, lápis e canetas. Nenhum aluno ficou sem qualquer kit, sem qualquer caderno.


A Secretaria não produz os materiais entregues aos alunos. Todos cadernos são comprados via licitação e passam por rígido teste de qualidade. Os cadernos rejeitados (com folhas mais finas que o padronizado, por exemplo) são devolvidos e trocados por unidades em perfeita qualidade, sem qualquer ônus ao Estado.


É importante deixar claro que a Secretaria, via Fundação para o Desenvolvimento da Educação (FDE), apenas paga a mercadoria efetivamente entregue aos alunos, após conferência dupla realizada in loco e por sistema informatizado de entrega de bens. A Secretaria reitera que não há possibilidade de o material encontrado ter sido pago com dinheiro público, tampouco ser fruto de sobras quantitativas, uma vez que as compras são feitas na exata medida das necessidades do número de alunos da rede escolar.


A Secretaria já procurou a empresa que venceu a referida licitação para pedir esclarecimentos. Conforme o boletim de ocorrência 3268/2008 lavrado junto ao 1º DP de Osasco, a empresa TZAR Transporte e Armazenagem (logística) é que repassou cadernos à empresa Felipe Aparas de Papel.

Veja a íntegra da nota da Secretaria Municipal de Educação:

Sobre os cadernos encontrados nesta quinta-feira (19 de junho), a Secretaria Municipal de Educação de São Paulo informa que:


1 – Não compra cadernos isoladamente para o kit escolar dos alunos. A aquisição do material é feita pelo conjunto de produtos que compõem o kit entregue aos estudantes. Assim, os cadernos e os demais itens são comprados e mixados pelos fornecedores do kit e podem ter como origem diversos fornecedores;


2 – Paga seus fornecedores por kit efetivamente recebido pelos alunos e não por produtos. Assim, é impossível que os referidos cadernos tenham sido pagos com recursos públicos;


3 – Indignada com a ocorrência, a Secretaria já contatou a Polícia Civil de São Paulo e manifestou seu interesse na resolução do caso, colocando-se à disposição para apoiar as investigações em curso;


4 – A Secretaria Municipal de Educação manifesta sua total confiança na solução do caso pela Polícia de São Paulo.

Recomendados Para Você:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *