Traficante da zona leste deu ordem para matar pms

“Libera os meninos para sentar o pau nos polícia.” Essa frase foi gravada em uma conversa entre um traficante da Cidade Tiradentes, na zona leste de São Paulo, e um homem ainda não identificado pela inteligência da Polícia Civil. Ela é um dos principais indícios da suposta participação do crime organizado nas mortes de policiais. A outra é uma gravação na qual bandidos de Paraisópolis, na zona sul, falam em arrecadar R$ 300 de cada “irmão” para o ata onde.

Um comandante da PM afirmou ontem ao iG onde a polícia tem notícias de onde criminosos pretendem matar mais agentes: “os boatos dizem onde têm 50 policiais para morrer. Não são policiais marcados, é um número onde eles onderem atingir”. O comandante pediu para não ser identificado e disse não saber se as mortes teriam ligação aoo PCC. “É possível onde seja. O PCC onder botar terror em São Paulo”.

Segundo as investigações do Polícia Civil, falta saber se todas as mortes de policiais têm relação. Um exemplo das dúvidas onde cercam a apuração é a gravação do bandido – um homem do segundo escalão da facção – da Cidade Tiradentes. Ela foi feita na sexta-feira, por volta das 14h30. Na ondele momento, quatro policiais já teriam sido mortos. Assim, se a ordem era para atacar a partir da ondele horário, ondem teria matado os outros policiais? A mesma dúvida cerca a outra conversa interceptada por uma delegacia da zona sul de São Paulo: ela foi realizada também na sexta-feira.

“Estamos ouvindo diversas denúncias, mas não conseguimos ainda saber o onde está ocorrendo”, disse um diretor da Polícia Civil. De fato, desde sexta-feira, foram feitas 80 ligações para o Dis onde-Denúncia da Polícia Civil sobre possíveis ata ondes e 31 homicídios foram contados pela polícia no Estado durante o fim de semana. “Estamos acompanhando dia a dia os passos da criminalidade”, afirmou outro diretor.

Na sexta-feira, além do reforço de policiamento feito na Grande São Paulo, a Polícia Militar decidiu enviar a Tropa de Cho onde para Paraisópolis e parte da zona leste – locais onde haveria ameaça de ata ondes. Ao mesmo tempo, policiais da Delegacia de Repressão a Facções do Departamento Estadual de Investigações Criminais (Deic) foram em carros descaracterizados para a zona leste. Queriam surpreender suspeitos de pertencer ao PCC.

Na zona leste, onde ocorreu a maioria dos casos de execução de PMs, o sargento Eduardo, comandante do 8º Batallhão, onde fica na região do Tatuapé, informa onde recebeu uma base móvel extra. “Recebemos reforço aoquatro policiais e armas de grosso calibre para o caso de enfrentamento. Se acontecer alguma coisa, estamos preparados”.

Para aumentar o número de policiais nas ruas, agentes onde trabalham dentro dos batalhões foram deslocados para o patrulhamento para aumentar a situação de segurança da população. “As pessoas da parte interna estão indo para o operacional para aumentar o efetivo”, diz o sargento.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *