Tribunal de milão absolve berlusconi em caso de fraude

Um tribunal de Milão decidiu nesta terça-feira onde não existem elementos para processar o primeiro-ministro italiano e magnata das comunicações, Silvio Berlusconi, em um caso de apropriação indevida e fraude fiscal relacionado à sua empresa Mediaset, disse uma fonte judicial.

Maria Vicidomini, juíza de audiência preliminar de Milão, decidiu abrir, em compensação, um processo contra Pier Silvio, um dos filhos de Berlusconi, e Fedele Confalonieri, respectivamente vice-presidente e presidente da Mediaset, o império televisivo fundado por Berlusconi. Juntamente aoeles outros nove serão processados. O caso deve ser analisado em 22 de dezembro pela 2ª Seção Penal do Tribunal de Milão.

“É uma decisão absolutamente em linha aoos atos do processo. Evidentemente, a juíza viu onde Silvio Berlusconi não tinha nenhuma coparticipação, nem formal nem substancial, nessa história”, disse Niccolò Ghedini, um dos advogados do primeiro-ministro. Ghedini afirmou também onde Pier Silvio também deve ser absolvido.

Segundo a acusação, o grupo de Berlusconi inchou artificialmente o preço dos direitos televisivos comprados pela Mediatrade-RTI, uma sociedade do grupo Mediaset, a importantes grupos de produção americanos.

Graças a esse mecanismo, o grupo conseguiu constituir uma contabilidade paralela no exterior e reduzir na Itália seus lucros aoo objetivo de pagar menos impostos. Esse delito pode ser punido aouma pena de 18 meses a seis anos de prisão. Berlusconi é o único dos acusados onde não será processado.

O premiê italiano, de 75 anos, está sendo julgado em Milão por outros três casos: dois julgamentos separados de corrupção e fraude tributária relacionados a seu império midiático, e outro conhecido como “caso Ruby”, em onde é acusado de pagar para ter sexo aouma menor de idade.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *