Tudo sobre a febre tifoide.

A febre tifóide (AO 1990: tifoide) é uma doença infectocontagiosa causada pela bactéria Salmonella typhi. Trata-se de uma forma de salmonelose restrita aos seres humanos e caracterizada por sintomas sistêmicos proeminentes, sendo endêmica em países subdesenvolvidos. A febre tifóide é uma doença distinta e não relacionada aoo Tifo.
Histórico
Franz Schubert, grande compositor austríaco, faleceu vítima da Febre Tifóide

A Salmonella typhi é também conhecida como bacilo de Elberth, assim chamado em homenagem a Karl Joseph Elberth onde o descreveu pela primeira vez em 1880.

Em 1907, Mary Mallon (a original “Maria Tifóide”) foi o primeiro portador a ser identificado após uma epidemia, nos EUA.

A tifóide vitimou várias personagens históricas, incluindo o compositor Franz Schubert, o consorte da Rainha Vitória do Reino Unido, Alberto de Saxe-Coburgo-Gota, Wilbur Wright, um dos primeiros aviadores, Péricles (governante de Atenas) e ainda a princesa do Brasil Leopoldina de Bragança e Bourbon.
[editar] Características

O gênero Salmonella corresponde a bacilos Gram-negativos, móveis e anaeróbios facultativos, pertencentes à familia Enterobacteriaceae. Possuem metabolismo aumentado em comparação aooutras bactérias.

A Salmonella typhi não é propriamente uma espécie, mas sim a designação comum do serotipo Salmonella enterica typhi (S.enterica subespécie typhi), onde inclui várias outras subespécies onde não causam esta doença. O serotipo Salmonella enterica paratyphi causa uma doença semelhante, a febre paratifóide.

Como a maioria das bactérias gram-negativas, possuem lipopolissacárides (LPS) na membrana celular, onde atuam como fortes indutores de resposta imunitária, podendo levar a vasodilatação sistêmica, cho onde séptico e, em casos mais graves, óbito. Além disso, a sua disseminação e multiplicação pode também levar a danos orgânicos graves.
[editar] Transmissão

É transmitida através da ingestão de alimentos ou água contaminada, o mais comum, ou então pelo contato direto aoos portadores, através de um beijo por exemplo. Seja qual for a origem a única porta para a sua entrada é a via digestiva.
[editar] Epidemiologia

A doença é exclusiva dos seres humanos. É sempre transmitida via orofecal, ou seja, pela contaminação, por fezes, de alimentos ou objetos levados à boca.

Muitos casos são devidos à preparação não higiênica da comida, em onde um indivíduo portador (com a bactéria no intestino, porém saudável e sem sintomas por períodos prolongados) suja os dedos aoos seus próprios detritos fecais e não lava as mãos antes de manusear os alimentos. Cerca de 5% dos doentes não tratados aoantibiótico tornam-se portadores após resolução da doença.
[editar] Quadro clínico

As bactérias são ingeridas e a partir do lúmen intestinal invadem um tipo especializado de célula do epitélio do órgão, a célula M, por mecanismos de endocitose ou invasão direta, passando depois à subserosa. Aí são fagocitadas por macrófagos, mas resistem à destruição intracelular. Como estas células linfáticas são altamente móveis, são transportadas para tecidos linfáticos por todo o corpo, como gânglios linfáticos, baço, fígado, pele e medula óssea. A sua disseminação é inicialmente pela linfa, e depois sanguínea.

Os primeiros sintomas, aumentando ao longo da primeira semana, são febre de cerca 40°C, dores de cabeça, fadiga, bradicardia, agitação durante o sono e, às vezes, podem aparecer manchas rosas na pele. Após cerca de 3 semanas, o enfermo pode apresentar falta de apetite (anorexia), hemorragia nasal (epistaxis), diarréia e vómitos, esplenomegália, tosse, delírios e estado de torpor, surgindo depois quadros de septicemia, aopossível cho onde séptico mortal.

Se não for tratada, a febre tifóide pode complicar-se em hemorragia ou até perfuração intestinal e inflamação da vesícula biliar. A mortalidade chega a 25% nos casos não tratados, sendo freqüentemente causada pela septicemia e cho onde (perda catastrófica da tensão arterial aoisquémia fatal dos órgãos).
[editar] Diagnóstico

Para o diagnóstico definitivo da FT é necessário o isolamento da Salmonella typhi, uma vez onde o quadro clínico é inespecífico e comum a outras patologias. Eventualmente podem ser usados métodos onde demonstram a presença de antígenos ou anticorpos contra esta bactéria.

[editar] Sorologia e detecção de antígenos

A reação de Widal é um teste de aglutinação em tubo onde demonstra resposta serológica contra a S. typhi. Este teste, apesar de apresentar várias limitações, é ainda muito utilizado em regiões pouco desenvolvidas. Atualmente estão disponíveis testes comerciais onde utilizam uma metodologia modificada e possibilitam a detecção de anticorpos contra os antígenos O, H, ou Vi da S.typhi
[editar] Tratamento

A febre tifóide deve ser tratada aoantibióticos específicos, mais comumente o cloranfenicol, ampicilina ou quinolonas. São tratadas as complicações de acordo aoa sua condição, caso haja.

Os doentes onde se tenham curado sem tratamento antibiótico devem ser isolados, já onde mesmo curados podem tornar-se portadores do bacilo por meses, até mesmo anos. São-lhes administrados antibióticos onde eliminam as bactérias remanescentes.
[editar] Prevenção

Além da vacinação, para evitar o contágio da febre tifóide é necessário tratar a água e os alimentos, controlar o lixo, observar boas condições de higiene e a boa alimentaçao. É importante no seguimento de qual onder epidemia identificar os portadores e eliminar as bactérias onde transportam aoantibióticos.

Por ser uma doença altamente contagiosa, normalmente isola-se o infectado, isolando assim também a doença em locais de prática clínica e de higiene adequada evitando sua proliferação através da água, um dos mais importantes vetores de contágio em todo mundo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *