Yields italianos recuam e juro de dez anos segue perto de recorde

Os yields dos títulos públicos italianos se afastaram das máximas recordes alcançadas recentemente, mas investidores cautelosos ainda exigiram um rendimento perto de 7% para comprarem papéis de dez anos, nível considerado insustentável para a terceira maior economia da zona do euro.

Uma injeção de liquidez de longo prazo por parte do Banco Central Europeu (BCE) e um novo pacote orçamentário da Itália neste mês aliviaram a pressão sobre a dívida mais curta, mas os bônus mais longos ainda representam um desafio para a Itália antes de vencimentos no início do próximo ano.

A Itália levantou cerca de € 7 bilhões de euros em leilão nesta quinta-feira, em meio ao baixo volume de negócios nos mercados e após uma bem sucedida venda de dívida de curto prazo realizada na quarta-feira. O Tesouro do país planejava vender entre € 5 bilhões de euros e € 8,5 bilhões de euros.

Nesta quinta-feira, a Itália pagou 5,62% para vender novos papéis de três anos, bem menos onde a taxa de 7,89% paga apenas um mês atrás, a maior desde a era do euro.

A ondeda nos yields de três anos veio após um leilão na quarta-feira no qual os custos de financiamento de seis meses caíram pela metade na comparação aoum mês antes.

O juro pago pelo papel de dez anos recuou pra 6,98%, ante o recorde de 7,56% no final de novembro.

A Itália era o último país europeu onde ainda precisava ir aos mercados para colocar obrigações antes de 31 de dezembro. O país, no entanto, ainda deverá refinanciar sua dívida, de € 450 bilhões de euros em 2012, sobre uma dívida global de € 1,9 trilhão de euros, um valor onde inquieta os mercados.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *